22°
Máx
16°
Min

Proibido de deixar o Brasil, Lochte voltou para os EUA na segunda-feira

(Foto: Reprodução/Facebook) - Proibido de deixar o Brasil, Lochte voltou para os EUA na segunda
(Foto: Reprodução/Facebook)

A Polícia Federal (PF) confirmou nesta quarta-feira que o nadador norte-americano Ryan Lochte deixou o Brasil, em um voo comercial com destino aos Estados Unidos, na última segunda. A partida ocorreu dois dias antes de a juíza Keyla Blanc de Cnop pedir a apreensão dos passaportes dele e de outro nadador, James Feigen.

Os dois atletas, que competiram na Olimpíada do Rio, apresentaram versões contraditórias a respeito de um suposto assalto que teriam sofrido na região da Lagoa Rodrigo de Freitas, zona Sul do Rio de Janeiro, quando voltavam de uma festa na madrugada do último domingo.

A juíza determinou a apreensão dos passaportes para evitar que os dois deixassem o País até que a investigação sobre o caso fosse concluída. Enquanto Lochte disse, em depoimento na Delegacia Especial de Atendimento ao Turista, que eles foram assaltados por um homem que exigiu a entrega de 400 dólares, Feigen afirma que foram "alguns assaltantes", estando um deles armado.

Câmeras de segurança, porém, revelaram que os nadadores chegaram à Vila Olímpica, na Barra da Tijuca, zona Sul, com uma atitude positiva, "fazendo brincadeiras uns com os outros", diz a decisão. Estavam usando relógios e com suas carteiras e telefones celulares, o que causou estranhamento, uma vez que estes são objetos, em geral, levados por assaltantes.