24°
Máx
17°
Min

Qualificada para Olimpíada, Sueli leva 4 anos de suspensão por doping

Qualificada para os Jogos do Rio na maratona, Sueli Pereira Silva, atleta do Cruzeiro, está fora da próxima Olimpíada. A corredora foi julgada pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) do atletismo na semana passada e recebeu quatro anos de suspensão. Ela foi flagrada em exame antidoping após ser a melhor brasileira da última edição da Corrida Internacional de São Silvestre, quando testou positivo para a substância eritropoietina (EPO).

Como só poderá voltar a competir em fevereiro de 2020, Sueli, de 39 anos, praticamente encerra sua carreira esportiva caso não consiga reduzir a suspensão recorrendo a uma corte superior. Ela só voltará a ficar apta a competir de novo em janeiro de 2020, já perto do fim do período de classificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Na São Silvestre, Sueli, competindo pelo Cruzeiro, completou a prova em quarto lugar, fazendo jus a uma premiação de R$ 18 mil, que ela terá que devolver. Onze dias depois, em 10 de janeiro, ela voltou a ser flagrada em exame antidoping, desta vez na tradicional Corrida de Reis. Em Cuiabá, ela também foi a melhor brasileira, em terceiro.

Na Corrida de Reis, caiu no doping junto com o filho dela, Ronald Moraes. Os dois treinam juntos em Jataí (GO) sob o comando de Ronaldo Quirino, marido de Sueli e pai de Ronald. O filho dela também foi suspenso por quatro anos pelo STJD do atletismo.

Ronald, curiosamente, era atleta do Cruzeiro até 31 de dezembro, tendo sido sumariamente demitido pelo clube mineiro antes da São Silvestre. Sem dinheiro, não correu em São Paulo. Na Corrida de Reis, dopado, ficou em nono.

O Brasil tem cinco atletas com índice olímpico na maratona feminina, incluindo Sueli, que obteve a qualificação em Santiago (Chile), em maio do ano passado, e, mesmo suspensa, não perde o índice. As três primeiras do ranking são: Adriana Aparecida da Silva, Marily dos Santos e Graciete Moreira.

O período de classificação na maratona termina em 6 de maio. Até lá, uma nova rodada de grandes maratonas será disputada, incluindo Boston (EUA), Roma (Itália), Viena (Áustria), Roterdã (Holanda) e Hannover (Alemanha).