28°
Máx
17°
Min

Rio-2016 recorre aos Correios para garantir abastecimento de alimentos

(Foto: Brasil.gov.br) - Rio-2016 recorre aos Correios para garantir abastecimento de alimentos
(Foto: Brasil.gov.br)

Os organizadores dos Jogos do Rio-2016 multiplicam por dez o número de funcionários para garantir a logística para distribuir alimentos nos parques olímpicos a partir deste domingo, depois que faltou comida no primeiro dia de eventos. Para garantir o abastecimento, foram chamados cem funcionários dos Correios.

Segundo o diretor de Comunicação do Rio-2016, Mario Andrada, existiam menos de dez pessoas envolvidas na logística de alimentos no parque. "Decidimos agora ter cem pessoas dedicadas a isso", declarou. "É uma espécie de situação de crise", explicou.

O Comitê Rio-2016 indicou que o abastecimento de alimentos havia sido afetado pelos problemas no acesso aos locais de provas, justamente depois de um problema de segurança e falta de funcionários para operar máquinas de raio X. Esses cem funcionários serão fornecidos pelos Correios, a empresa que atua como parceira do comitê.

Além de novos funcionários, os organizadores apontam que adotaram outras onze medidas para tentar dar uma solução à crise de abastecimento. Em diversos locais de provas, faltou comida e água no sábado. Pelas regras do Comitê Olímpico Internacional (COI), nenhum torcedor pode entrar com alimentos no local e toda a compra precisa ocorrer dentro de lojas autorizadas.

Segundo Andrada, um menu mais simples passará a ser usado nos locais, com pratos frios e menor necessidade de usar fornos. Haverá também uma mudança no abastecimento de água e a garantia de que se faltar nas lojas credenciadas, o Comitê Rio-2016 se compromete a entregar gratuitamente garrafas a todos. O preço oficial é de R$ 6 por garrafa.