21°
Máx
17°
Min

Robson Conceição vence cubano em luta alucinante e está na final do boxe

(Foto: Washington Alves/Exemplus/COB) - Robson Conceição vence cubano e está na final do boxe
(Foto: Washington Alves/Exemplus/COB)

Na luta mais aguardada pelo boxe brasileiro no Rio, neste domingo, Robson Conceição derrotou Lazaro Jorge Álvarez e se garantiu na decisão olímpica. Com o pavilhão 6 do Riocentro parecendo um caldeirão, o baiano de 27 anos ganhou do cubano tricampeão mundial, melhor do mundo na categoria leve (até 60kg), e se classificou. Com isso, garantiu que ao menos a medalha de prata ele tem. Álvarez fica com o bronze.

A luta começou tensa, principalmente pela pressão da torcida, que ocupava quase a totalidade das arquibancadas. Álvarez, entretanto, manteve seu estilo de lutar, sempre medindo a distância e com a guarda baixa. O primeiro round não teve vencedor claro - dois juízes laterais deram triunfo do cubano, enquanto um apontou do brasileiro.

Robson parece ter sentido que a vantagem não era dele e foi mais agressivo no segundo round. Arriscando mais golpes, pressionou o rival, dominando o centro do ringue, e teve vitória incontestável.

Chegou ao terceiro assalto em vantagem, mas ainda assim um pouco afobado. Em sua sequência de golpes, chegou a se desequilibrar. O supercílio esquerdo, que já estava aberto, passou a sangrar e os médicos tiveram que atendê-lo. Os 35 segundos finais foram alucinantes, como se ninguém tivesse nada a perder. Um árbitro até viu vitória do cubano, mas mesmo assim o resultado final foi unânime.

Robson havia garantido a medalha ao vencer nas quartas de final Hurshid Tojibaev, do Usbequistão, dono do cinturão APB, a liga semi-profissional da Associação Internacional de Boxe (AIBA). A vaga na final, porém, foi ainda mais comemorada. Álvarez ganhou do brasileiro na final do Mundial de 2013 e tirou Robenilson de Jesus dos Jogos de Londres, há quatro anos.

A medalha reafirma a retomada do boxe olímpico brasileiro. Até quatro anos atrás, a única medalha do País nos Jogos havia sido conquistada em 1968, por Servílio de Oliveira. Em Londres, foram três pódios: prata com Esquiva Falcão e bronze com Adriana Araújo e Yamaguchi Falcão.

Desde 2010, o Brasil também vem conquistando resultados significativos em Campeonatos Mundiais. Ganhou título mundial juvenil, feminino e masculino. Em ano passado, em Baku, só Robson foi ao pódio, com bronze. O resultado o classificou para estar no Rio-2016.

No Rio, Robson faz suas últimas lutas como amador. Ele nunca escondeu que tem o sonho de ser campeão mundial profissional, mas esperou até a Olimpíada para fazer essa migração.