22°
Máx
17°
Min

Sasaki sente dores no joelho e é poupado do solo no ensaio para Olimpíada

(Foto: Paulo Pinto/ Fotos Públicas) - Sasaki é poupado do solo no ensaio para Olimpíada
(Foto: Paulo Pinto/ Fotos Públicas)

A equipe brasileira masculina de ginástica artística fez um ensaio nesta quarta-feira, na Arena Olímpica do Rio, de sua apresentação nos Jogos Olímpicos. No entanto, o maior teste antes da estreia, no sábado, teve um contratempo. Depois de os ginastas da casa passarem pelas argolas, Sérgio Sasaki sentiu dores no joelho direito no primeiro salto e acabou não entrando no solo.

O atleta lamentou o ocorrido, mas minimizou as dores. "Caí um pouco chateado por não ter acertado naquele momento. Mas a comissão (técnica) gostou do salto. Dor vai me acompanhar sempre. Essa dor que eu tenho não é de hoje. Faz um ano que sinto dor no joelho, no ombro, nas costas. A vida de um atleta é assim mesmo", afirmou.

No primeiro salto, Sasaki não conseguiu cravar a saída e chegou a sentar no chão, massageando com as mãos o joelho direito. O ginasta foi para o segundo salto e apenas soltou o corpo na queda, evitando o impacto. O treinador chefe da seleção masculina, Renato Araújo, conversou com o atleta e eles deram sequência à atividade. Os aparelhos seguintes foram barras paralelas, barra fixa, solo e cavalo com alças.

O técnico explicou que a comissão técnica decidiu poupá-lo do solo para evitar complicações na véspera dos Jogos Olímpicos. "Quando ele fez a meia-volta do duplo carpado, caiu um pouco em cima da perna direita. Teve sobrecarga. A gente poupou ele do solo por precaução. Se fosse competição, iria competir sem problema. Mas já que está tão pertinho, melhor dar um fortalecimento no joelho", disse Araújo.

Lesões não são novidade na vida de Sasaki. Em janeiro de 2015, ele passou por cirurgia no mesmo joelho para reconstruir o ligamento cruzado anterior e o menisco medial. Quando estava prestes a ser liberado, sofreu uma contusão no tendão longo do bíceps braquial do ombro direito, em julho, e precisou de outra operação.

Desde então, o ginasta tem batalhado para estar em boas condições físicas. E Sasaki promete estar no centro da Arena Olímpica do Rio junto com o restante da equipe. "Sábado estarei aí. Estou bem, gostei do meu treino apesar de tudo, gostei do salto. A gente sabia que não ia ser perfeito. Agora é marcar na cabeça o que precisa melhorar e arrumar." O Brasil está na subdivisão 1, ao lado de Japão, Coreia do Sul, Holanda e dois grupos combinados de ginastas de diversos países.