22°
Máx
14°
Min

Scheidt reage e fica em 2º em nova regata: 'Estou de volta na briga'

(Foto: Arquivo/COB) - Scheidt reage e fica em 2º em nova regata: 'Estou de volta na briga'
(Foto: Arquivo/COB)

Robert Scheidt está de volta à briga. Foi assim que o velejador, que briga pela sexta medalha olímpica, definiu esta quarta-feira de regatas na Baía de Guanabara, na Olimpíada do Rio de Janeiro. Os velejadores enfrentaram condições difíceis, com ventos muito fortes e frio, trazidos por uma frente fria. Scheidt ficou em 2º na segunda regata do dia e assumiu o quarto posto geral.

Ao longo da tarde, regatas eram iniciadas e encerradas por falta de condições. A última regata de Nacra 17 foi adiada para esta quinta-feira.

Robert Scheidt, da classe Laser, teve o melhor dia de competições, ao ficar em 11º e 2º. Ele subiu quatro posições e terminou o dia em quarto. "Era um dia importantíssimo. Eu tinha que melhorar para manter as chances ainda vivas. Estou de volta na briga", disse ele.

Na primeira regata, ele chegou a cometer alguns erros e passou em 20° lugar, mas conseguiu recuperar posições. Na segunda, ele havia terminado em terceiro, mas o argentino Julio Alsogaray queimou a largada e Scheidt subiu uma posição. Agora ele tem 68 pontos perdidos. Está mais próximo dos adversários.

O holandês Rutger Shaadenburger está em terceiro, com 60 pontos. O britânico Nick Thompson está em segundo, com 52, e o croata Tonci Stipanovic lidera a prova mais folgado, com 38 pontos perdidos. "A 20, 25 pontos de distância você precisa fazer alguma coisa muito excepcional para chegar perto na medal race. Agora a distância já encurtou, tem que ter calma, para entrar na medal race com chance".

Bem humorado, Scheidt beijou a mulher, Gintare Scheidt, velejadora da Lituânia, que também teve um bom dia no mar. "E aí, guerreira?", brincou. "Quando amanheceu o dia com aquela ventania toda ela ficou mais insegura. Ela estava meio cabisbaixa de manhã, mas ela foi lá para fora e ela fez duas boas regatas. O vento deve baixar nos próximos dias e ela vai para a briga", afirmou. Ela está em sexto no ranking geral da Laser Radial, classe em que a brasileira Fernanda Deconp disputa. Ela está em 23º lugar, em 24 competidoras.

As meninas da 470, a medalhista olímpica Fernanda Oliveira e Ana Barbachan, esperança de medalha, terminaram o dia com dois quintos lugares e um quarto lugar geral. "Foi um dia de bastante paciência. Mas a gente ficou feliz com a nossa regularidade", disse Fernanda. Ainda assim, elas apresentariam protesto contra duas adversárias.

Isabel Swan e Samuel Albrecht estrearam com dificuldade, terminaram a primeira regata em 17º, mas deram a volta por cima e venceram a segunda regara. Encerram o dia na sétima posição.

As condições difíceis derrubaram Jorge Zarif, da classe Finn, da quarta para a oitava posição geral. O mesmo aconteceu com Henrique Haddad e Bruno Bethlem, da 470 masculino, que ficaram na 23ª colocação, entre 26 competidores.