27°
Máx
13°
Min

Seleção brasileira encara a Colômbia no primeiro desafio eliminatório do Rio-2016

(Foto: Rio 2016) - Seleção brasileira encara a Colômbia
(Foto: Rio 2016)

A seleção brasileira tem neste sábado um duro desafio na caminhada em busca do ouro olímpico. Enfrenta a Colômbia, uma equipe tem se mostrado forte física e taticamente, às 22 horas, no estádio Itaquerão, em São Paulo, por uma vaga na semifinal do Rio-2016. Neymar é dúvida por causa de entorse no tornozelo direito, mas a tendência é que vá jogar.

Em caso de empate no tempo normal, haverá prorrogação e, se necessário, disputa por pênaltis para definir o classificado. Quem passar joga contra o vencedor de Coreia do Sul x Honduras, que jogam às 16 horas no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte. A semifinal será na próxima quarta-feira, no estádio do Maracanã, no Rio.

Apesar de o jogo ser eliminatório, o técnico Rogério Micale não vai abrir mão do sistema ofensivo em prol de um esquema mais conservador. “Não existe essa possibilidade. Vamos manter nossa forma de jogar, foi dessa forma que nos preparamos. O conceito, a forma de atuar, não mudam", disse.

Depois do tropeço nas duas primeiras partidas, a seleção deslanchou diante da Dinamarca e Rogério Micale achou o time na vitória por 4 a 0. Com Luan em campo, Neymar mais centralizado e participativo e Gabriel Jesus pela esquerda, a equipe manteve o mesmo nível quando variou do 4-3-3 para 4-2-3-1 e tomou conta do jogo. Situação que Micale espera ver repetida neste sábado, embora admita que o adversário seja bem mais forte.

Mas ele tinha nesta sexta-feira uma dúvida, ou dilema como definiu: manter Walace ou promover o retorno de Thiago Maia, que não jogou na última quarta em Salvador por suspensão. “Estamos pensando. O Thiago fez ótimas partidas antes da suspensão e o Walace fez uma partida perfeita contra a Dinamarca. Vamos ver o melhor encaixe", justificou Rogério Micale.

Na hipótese de Neymar não jogar - remota, a tomar como base o fato de, na tarde desta sexta-feira, o jogador ter caminhado normalmente, sem mancar, e não apresentar inchaço no tornozelo - o treinador poderá escalar os dois volantes. “Mas confiamos que o Neymar esteja pronto para o jogo".

RESPEITO A NEYMAR - O técnico da Colômbia, Carlos Restrepo, deu pista de que vai determinar atenção especial sobre Neymar. “Não podemos deixar de respeitá-lo", admitiu Micale, que não acredita que um dos artifícios dos colombianos será provocar o atacante, como aconteceu no jogo entre as seleções principais na Copa América do Chile, em 2015, nem tentar pará-lo com violência, como ocorreu na Copa do Mundo de 2014. “Não me preocupo em relação a isso, faz parte do passado. Estamos vivendo um outro momento, falando de Olimpíada", afirmou. “E Neymar é provocado onde quer que vá no mundo".

Preocupação é que o time mantenha o equilíbrio emocional mesmo que o gol demore a sair ou caso a Colômbia marque primeiro neste sábado - até agora o Brasil ainda não tomou gol na Olimpíada. “É um jogo em que as duas equipes precisam ganhar para passar de fase. Temos de tentar ganhar, independentemente do momento do gol. Quanto mais rápido, mais tranquilo fica. E se eles fizerem, temos de ter tranquilidade. São 90 minutos", alertou Rogério Micale.