24°
Máx
17°
Min

Seleção feminina de vôlei vence Argentina com facilidade e lidera grupo

(Foto: Divulgação/Jogos Olímpicos) - Seleção feminina de vôlei vence Argentina com facilidade e lidera
(Foto: Divulgação/Jogos Olímpicos)

Apostando na movimentação e variação de jogadas, a seleção brasileira feminina de vôlei passeou no confronto contra a Argentina, na noite desta segunda-feira, no Maracanãzinho, pela Olimpíada do Rio de Janeiro. Em menos de uma hora, a equipe liquidou a partida por 3 sets a 0, com parciais de 25/16, 25/19 e 25/11. Após a vitória fácil, o time foi comemorar nos braços da torcida, em meia volta olímpica junto à quadra.

Com o resultado, a seleção fica na primeira posição do Grupo A, à frente da Rússia apenas em número de pontos. O próximo jogo será nesta quarta-feira, contra o Japão.

Sem jogar com equipes mais difíceis até agora, a seleção ainda precisará equacionar seus próprios erros para os próximos desafios. Apesar da superioridade técnica, as brasileiras cederam 16 pontos às adversárias por falhas. Além das bolas jogadas fora da quadra, as brasileiras tiveram erros de atenção, no posicionamento do saque e nos ataques sem força.

Em quadra, o time demonstrou confiança para variar as jogadas e confundir as adversárias. Natália se movimentou no bloqueio e ataque, Dani Lins acertou boa sequência de saques e também ajudou a distribuir as bolas na rede. Na hora do aperto, quando a bola insistia em não cair, pesou a experiência de Sheilla, bicampeã olímpica, para encontrar espaços na defesa argentina. Ela foi a maior pontuadora do Brasil e da partida, com 13 acertos.

Ainda sem contar com Thaísa, com dores na panturrilha esquerda, o técnico José Roberto Guimarães manteve na posição Juciely, que se destacou pela potência dos ataques e também no bloqueio, um dos principais fundamentos da seleção no jogo. A titular Thaísa só deve retornar à equipe no final da semana.

A Argentina participa pela primeira vez da competição e a inexperiência ficou clara na falta de articulação das jogadas. A defesa conseguiu segurar os ataques brasileiros em sucessivos ralis, mas, no ataque, as argentinas não ofereciam perigo para o Brasil.