21°
Máx
17°
Min

Sem Marcus Vinicius, Brasil briga por medalha inédita no tiro com arco

O tiro com arco do Brasil alcançou um feito histórico nesta quarta-feira, ao avançar à semifinal da etapa de Antalya (Turquia) da Copa do Mundo da modalidade na prova masculina por equipes. E a grande surpresa é que os brasileiros chegaram até a disputa pelo bronze sem contar com Marcus Vinicius D'Almeida.

Marcus, vice-campeão mundial em 2014, até participou da competição em Antalya, mas foi o pior dentre os quatro brasileiros da fase de classificação. Fez 655 pontos, contra 657 de Daniel Rezende, 659 de Marcelo Costa e também de Bernardo Oliveira. Essa etapa da competição define os chaveamentos das eliminatórias, mas também os arqueiros que formam a equipe - contam os três melhores resultados.

Apesar de não contar com aquele que, em teoria, é seu melhor arqueiro, o Brasil conseguiu vitórias históricas sobre a Índia (5 a 3), terceira cabeça de chave, e sobre a Austrália (5 a 1), quinta cabeça de chave. Diante da Coreia do Sul, a maior potência da modalidade, levou 6 a 0. A decisão do bronze, contra os Estados Unidos, será no próximo domingo. A Coreia do Sul briga pelo ouro com o México.

O resultado é excelente porque o tiro com arco por equipes é uma prova olímpica e a Copa do Mundo de Antalya é a última competição antes dos Jogos Olímpicos do Rio. O Brasil passa a ser candidato a uma medalha também nessa disputa.

Marcus Vinicius, Daniel, Marcelo e Bernardo estão convocados para os Jogos do Rio, mas um deles será reserva. Marcus não vem em boa fase e caiu diante de Pak Yongwon, da Coreia do Norte, na primeira rodada da fase eliminatória. Bernardo Oliveira também ficou na primeira rodada, enquanto Daniel Xavier foi eliminado pelo norte-americano Brady Ellison, campeão mundial em 2014 sobre Marcus Vinicius, na segunda rodada.

O único brasileiro vivo na competição é Marcelo Costa, que venceu dois confrontos até agora e está na fase anterior à de oitavas de final. Na quinta, vai enfrentar Denis Gankin, do Casaquistão.