21°
Máx
17°
Min

Sul-coreano bate recorde mundial e olímpico no ranqueamento do tiro com arco

(Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil)  - Sul-coreano bate recorde mundial e olímpico
(Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil)


A cerimônia de abertura dos Jogos do Rio só ocorrerá na noite desta sexta-feira, mas o evento já registrou nesta manhã o seu primeiro recorde mundial e olímpico. Ele foi obtido pelo sul-coreano Kim Woo-Jin no ranqueamento da disputa individual do tiro com arco, realizado no Sambódromo.

A disputa serve para determinar o chaveamento da disputa, marcada para este sábado. E Kim Woo-Jin foi quem se deu melhor ao fazer 700 pontos, superando por um o recorde anterior, registrado pelo compatriota Im Dong-Hyun, com 699, registrado há quatro anos, nos Jogos de Londres.

O ótimo desempenho de Kim Woo-Jin não surpreende pois o atleta da Coreia do Sul, país que faturou três das quatro medalhas de ouro do tiro com arco em 2012, foi campeão mundial em 2011 e 2015.

Com isso, ele terá a oportunidade de abrir a sua participação nas eliminatórias diante do pior classificado, o zimbabuano Gavin Ben Sutherland, o 64º colocado, com apenas 566 pontos.

Melhor arqueiro do Brasil, Marcus D'Almeida não teve bom desempenho. Com 658 pontos, ficou na 34º posição e agora vai enfrentar o 31º colocado, o norte-americano Jake Kaminski, com 660.

Bernardo Oliveira ficou com 651 pontos, na 45ª colocação, e Agota terá pela frente o australiano Alec Potts, o 20º, com 666. Já Daniel Rezende ficou apenas em 53º lugar, com 639 pontos. Seu rival na primeira eliminatória será o sul-coreano Lee Seung-Yun, o 12º melhor, com 676 pontos.

A somatória dos desempenhos individuais dos três arqueiros do país, com 1948 pontos, deixou a equipe do Brasil apenas na 11ª colocação no ranqueamento da disputa por equipes. Seus adversários vão ser a equipe da China, a sexta melhor, com 1.997 pontos. Em caso de triunfo, a Itália será a oponente nas quartas de final.

"A gente atirou aquém do que poderia, demorou para entrar na prova, talvez pelo nervosismo. Mas no final entramos. A pontuação não foi o que a gente queria, mas a gente conseguiu não entrar na chave da Coreia. A gente tem adversários fortes, mas não tão fortes quanto a Coreia", disse o técnico da equipe brasileira, Evandro de Azevedo.

Mesmo no ambiente festivo do Sambódromo - os organizadores Rio-2016 instalaram uma parede acústica para diminuir a poluição sonora -, Kim Woo-Jin manteve a liderança em praticamente todas as séries. A Coreia do Sul é o principal candidato ao ouro. Em 2012, conquistaram três das quatro medalhas de ouro em disputa.