26°
Máx
19°
Min

Técnico do levantamento de peso ataca 'decisão política' na lista para o Rio

O próprio técnico da seleção brasileira de levantamento não concorda com a lista de convocados para os Jogos Olímpicos do Rio divulgada no domingo pela Confederação Brasileira de Levantamento de Peso (CBLP). O cubano Luis Lopez, que divide as funções com o romeno Dragos Doru Stanica, acusa a entidade de alterar a convocação por "decisão política", tirando Bruna Piloto, atleta do Pinheiros, para dar lugar a Jaqueline Ferreira.

"Realmente lamentável que uma pessoa pouco ética e pouco profissional não respeite os critérios técnicos estabelecidos, não respeite seu representante técnico que durante muito tempo trabalhou com muita dedicação e profissionalismo. São pessoas como esta que se dedicam a derrubar o desenvolvimento esportivo do País, quando tomam decisões polícias e o poder se sobrepões aos critérios técnicos", reclamou Lopez em postagem no Facebook.

Procurada pela Agência Estado nesta segunda-feira, a CBLP disse que o presidente da entidade, Enrique Montero Dias, está na Geórgia para o Mundial Júnior e não comentaria as declarações.

Há duas semanas, a assessoria de imprensa da entidade noticiou que o Campeonato Pan-Americano seria a "última seletiva" para os Jogos do Rio. Questionada pela reportagem, não detalhou os critérios da seletiva. À época, a CBLP divulgou que iria divulgar os convocados após o Pan. A lista só saiu nove dias depois.

Ao revelar a lista, no domingo, a CBLP disse que adotou a média dos três melhores "índices Sinclair" entre cinco competições. Esse índice compara o desempenho de atletas de diferentes pesos corporais, e pode ser calculado no site da federação internacional.

"O índice Sinclair e as cinco competições que seriam consideradas para definir a convocação foram critérios estabelecidos pela coordenação técnica da CBLP, no início do ciclo olímpico, em 2013", explicou Dias no material enviado à imprensa no domingo.

Lopez, que é técnico pessoal de Bruna Piloto no Pinheiros, contesta. "Este indivíduo (Dias) não teve sequer a coragem de enfrentar os atletas e explicar os novos critérios técnicos que ele decidiu em dois ou três dias", reclamou o cubano.

A postagem no Facebook foi compartilhada também por Edmilson Dantas, diretor-técnico da CBLP e chefe da equipe, que também está na Geórgia. Welisson Rosa, Mateus Gregório e Fernando Reis, os três convocados para a equipe masculina, também compartilharam a postagem, indicando que concordam com os comentários do seu treinador.

No levantamento de peso, diferente de qualquer outra modalidade individual, os países conquistam uma cota da vagas em eventos como Olimpíada e Mundial, e escolhem como dividi-las entre as categorias, podendo optar por até dois atletas por subdivisão de peso. O Brasil, dono da casa, ganhou três postos no masculino e dois no feminino.

Entre as mulheres, eram cinco atletas brigando por essas duas vagas. De acordo com a CBLP, cinco eventos valeram como seletiva, sendo dois deste ano (Sul-Americano, e, depois, Pan-Americano), e três do ano passado: Jogos Pan-Americanos (em julho), Brasileiro (em setembro) e Mundial (em novembro).

Bruna Piloto (até 63kg) foi melhor este ano, com índice 279,07, no Pan e 271,1 no Sul-Americano. Em ambos os casos, bateu recorde nacional da categoria. Jaqueline (até 75kg) fez 273,0 no Pan e 269,4 no Sul-Americano.

Jaqueline, entretanto, havia se saído melhor nos três eventos do ano passado: Pan (275,4 contra 268,4), Brasileiro (283,7 contra 260,4) e Mundial (281,3 contra 265,7). No Mundial, Jaqueline foi 10.ª colocada. Bruna, com seu novo recorde nacional, ficaria em 14.º.

Bruna tem só 25 anos e está em plena evolução na carreira, enquanto Jaqueline já tem 29 anos. Ela ficou em oitavo nos Jogos de Londres, treina na Marinha, no Rio, por Dragos Stanica. A outra convocada, Rosane dos Reis Santos (até 53kg) é atleta do mesmo treinador. Mateus (até 97kg), Welisson (até 85kg) e Fernando Reis (+105kg) são treinados pelo cubano no Pinheiros.