21°
Máx
17°
Min

Tecnologia aerotransportada da Polícia Militar vai monitorar em tempo real a passagem da Tocha Olímpica na capital do Paraná

Tecnologia vai monitorar em tempo real a passagem da Tocha Olímpica

Curitiba será uma das cidades brasileiras a receber um dos maiores símbolos esportivos mundiais: a tocha olímpica. Para garantir a segurança tanto dos condutores quanto das demais pessoas envolvidas com o evento, a Polícia Militar preparou um grande esquema de segurança que envolve diversas unidades e forças especiais. Nesse grupo estão incluídas as equipes do BPMOA, que utilizando um dos helicópteros da unidade, sobrevoarão toda a cidade e monitorarão, com o imageador aéreo, as vias por onde a tocha olímpica vai passar.

O emprego desse equipamento será em apoio ao Comando da operação de segurança, fornecendo dados e informações que podem auxiliar na aplicação do policiamento terrestre nos locais por onde a tocha passará. 

“O planejamento da PM do Paraná, com essa tecnologia aerotransportada, eleva a corporação no cenário nacional durante as Olimpíadas Rio 2016, evento esportivo de magnitude mundial”, disse o Comandante do BPMOA, tenente-coronel Adonis Nobor Furuushi.

As imagens serão transmitidas em tempo real ao CICCR, onde equipes de inteligência dos órgãos envolvidos na segurança poderão ter uma visão diferenciada do ambiente e poderão estabelecer estratégias preventivas. O imageador aéreo pode transmitir e gravar imagens em alta resolução, ainda que em ambientes com pouca iluminosidade, inclusive de maneira infravermelho térmica. O equipamento possibilita também a comunicação com bases fixas em terra ou com viaturas policiais.

“Vamos potencializar as ações da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros e das demais instituições de segurança por meio do patrulhamento aéreo. Nossa aeronave será os olhos das equipes policiais em terra para que saibam tudo o que acontece à sua volta e poder adotar procedimentos para evitar possíveis problemas. Nossas tripulações são preparadas para agir em qualquer situação de emergência”, destacou tenente-coronel Adonis.

Segundo o capitão Juliano Zanuncini, Chefe de Planejamento do BPMOA, todo o material coletado será gravado e poderá ser usado em investigações para identificar pessoas e veículos. O equipamento é capaz de captar até o rosto de pessoas, mesmo que estejam a quilômetros de distância do helicóptero. “As imagens armazenadas servirão como materialidade de crimes que sejam cometidos na passagem da tocha. O BPMOA estará atento a toda movimentação de público e de pessoas que possam praticar atitudes ilícitas na capital”, salientou.

Durante a passagem da tocha no Oeste do estado, o imageador também foi empregado no acompanhamento dos comboios policiais e da tocha olímpica. 

“Ficamos baseados nas cidades onde a tocha pernoitou, com condições de emprego imediato em questão de minutos, caso fosse necessário”, acrescentou.

Na capital não será diferente e as equipes estarão preparados para qualquer situação, inclusive de ordem médica. “Nossa aeronave, além de estar apta para o monitoramento aéreo, também está preparada para fazer transporte aeromédico, com os equipamentos de urgência adequados”, salientou.

Especificações

O dispositivo é utilizado pelo BPMOA há mais de dois anos e foi utilizado na segurança dos jogos da Copa do Mundo de 2014 em Curitiba. Herança desse evento, o imageador revolucionou o serviço aeropolicial do Paraná e permitiu à Polícia Militar uma visão mais ampla e segura das ações policiais em terra. O equipamento possibilita o monitoramento noturno durante o patrulhamento aéreo, acompanhamento de veículos e embarcações, busca de fugitivos que estejam homiziados, além de contribuir com o serviço de inteligência em ocorrências de vulto.

O imageador tem auxiliado as forças policiais em diversas situações, desde ações contra o crime organizado na fronteira a operações de busca e resgate em locais de mata e de difícil acesso. Também já foi empregado em grandes eventos, shows e manifestações, a fim de auxiliar os militares estaduais na localização de pessoas suspeitas. “Seja no fim do dia, à noite ou no amanhecer, a câmera Fire Eye consegue rastrear o que se busca, seja uma pessoa, um veículo ou algo que a percepção humana não consegue captar, acompanhando a movimentação do objeto até a abordagem pelos policiais no solo”, disse o tenente-coronel Adonis.

Colaboração: Assessoria de Imprensa da Polícia Militar