23°
Máx
12°
Min

Teddy Riner confirma supremacia no judô e conquista o bicampeonato olímpico

(Foto: Rio 2016) - Teddy Riner confirma supremacia no judô e conquista o bicampeonato
(Foto: Rio 2016)

Todos tinham um só objetivo na disputa da categoria acima de 100 kg do judô nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro: tirar a invencibilidade de Teddy Riner, o francês que não perde desde 10 de setembro de 2010. Mas cada um que subiu para enfrentá-lo saiu do tatame com derrota. Como esperado, ele foi fazendo fila nos rivais e conquistou seu bicampeonato olímpico.

Na primeira luta, ganhou de Mohammed Amine Tayeb, da Argélia, por ippon com pouco mais de um minuto de combate. Depois, enfrentou o brasileiro Rafael Silva nas quartas de final e aplicou um sumi-gaeshi quase perfeito. Foi com esse wazari que ele avançou e tirou "Baby" da disputa do ouro.

Na semifinal, teve uma luta dura contra o israelense Or Sasson. O rival equilibrou as ações e quando faltava um segundo para o fim do combate, que estava empatado com um shido para cada lado, o francês acertou novamente um sumi-gaeshi e ganhou por wazari. Na final, foi a vez do japonês Hisayoshi Harasawa tentar brecá-lo, mas não deu. Riner venceu em razã das punições sofridas pelo rival.

Porta-bandeira da França na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, o atleta de 2,03 m de altura e 139 kg não sabe o que é perder um combate há muito tempo. Aos 27 anos, ele tem oito títulos mundiais. Em uma categoria marcada principalmente por atletas grandes, mas algumas vezes com pouca agilidade por causa do elevado peso, Riner consegue reinar absoluto.

Ele conquistou dois de seus títulos mundiais no Rio, em 2007 e 2013. Agora, mais uma vez, mostrou que a cidade brasileira lhe traz muita sorte. Com a Arena Carioca 2, no Parque Olímpico, lotada para vê-lo, o judoca fez sua parte e provou porque é imbatível na categoria. Com o ouro, ele coloca mais uma medalha olímpica para sua coleção - tem ainda o ouro em Londres-2012 e o bronze em Pequim-2008.

Mais cedo, a França brilhou também no judô feminino. Na categoria acima de 78kg, Emilie Andeol se sagrou campeã olímpica ao bater na final a cubana Idalys Ortiz, que levou a medalha de prata. A chinesa Song Yu e a japonesa Kanae Yamabe levaram o bronze.