21°
Máx
17°
Min

Temer é recebido com aplausos e gritos de protesto em inauguração de metrô no Rio

(Foto: Henrique Freire/ Secom RJ) - Temer participa de inauguração de metrô no Rio
(Foto: Henrique Freire/ Secom RJ)

O presidente em exercício Michel Temer (PMDB) foi recebido com aplausos na estação da linha 4 do metrô, em Ipanema, zona sul, mas também ouviu gritos de "fora Temer". O grupo favorável a Temer também gritou "fora Lula". O presidente entrou na estação sem falar com a imprensa. Ele estava acompanhado do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e do governador em exercício do Rio Francisco Dornelles (PP).

O governador licenciado Luiz Fernando Pezão (PMDB) também compareceu à inauguração da Linha 4 do metrô neste sábado. É a primeira aparição pública do governador depois do anúncio de que está em remissão completa de câncer. Pezão não deu entrevista ao chegar à estação Nossa Senhora da Paz (Ipanema). Ele foi cumprimentado pelo prefeito Eduardo Paes e juntos entraram na estação.

O governador foi diagnosticado com linfoma não-Hodgkin, tipo de câncer linfático, em março. Ele entrou de licença médica, prevista para terminar em 31 de agosto. Pezão passou por seis ciclos de quimioterapia e foi dispensado dos últimos dois depois que os resultados de exames mostraram "resolução precoce" do câncer.

Em entrevista para jornalistas estrangeiros em Brasília na última sexta-feira, Temer disse está fazendo tudo o que é capaz para prevenir um ataque terrorista durante os Jogos Olímpicos, entretanto, não descartou a possibilidade de algum incidente. "O governo está em alerta. O governo está tranquilo. Eu acredito que haverá paz durante os Jogos Olímpicos", disse Temer. "O que nós não podemos garantir é que alguém um pouco louco não faça algo estúpido", afirmou. O presidente em exercício deve retornar a Brasília às 12h40 deste sábado.

A previsão total de gastos na linha 4 do metrô Ipanema - Barra é de R$ 9,7 bilhões. A obra é do Governo do Estado com suporte financeiro do Governo Federal, em parceria público-privada (PPP). É a empreitada mais atrasada e cara dos Jogos Olímpicos: será inaugurada na segunda-feira, 1º de agosto, mas a princípio só para a "família olímpica" - usuários credenciados para os jogos. Inicialmente, o trecho deveria estar pronto no início de 2016, mas atrasos já deixaram uma das estações para 2018.