28°
Máx
17°
Min

Thiago Braz supera tensão e vai à final no salto com vara na Olimpíada

(Foto: Rio 2016) - Thiago Braz supera tensão e vai à final no salto com vara na Olimpíada
(Foto: Rio 2016)

Após um susto, o brasileiro Thiago Braz se classificou para a final do salto com vara nos Jogos Olímpicos do Rio. Neste sábado, no Engenhão, o recordista sul-americano avançou em terceiro lugar, com um salto de 5,70 metros. Mas o início não foi fácil para o atleta da casa, e o estigma das eliminações precoces parecia se repetir. Assim, ele admitiu que temeu a desclassificação.

"Temi ficar fora. Vieram na cabeça todas as competições que não passei para a final, porém estou aprendendo a manter o equilíbrio e a não me apavorar. Isso me ajudou a manter o foco. Estou muito feliz com o resultado", afirmou o atleta de 22 anos, esperança de medalha para o Brasil.

Tenso, Thiago Braz errou as duas primeiras tentativas com o sarrafo a 5,45m, uma marca simples se comparada com ao seu recorde de 5,92m. Se errasse de novo, estaria fora. Decidiu subir para 5,60m e conseguiu ultrapassar. Em seguida, passou pelo sarrafo a 5,70m logo na primeira tentativa.

Braz terminou uma posição à frente do francês Renaud Lavillenie e estará na disputa por medalha na segunda-feira, a partir das 20h35. O campeão olímpico, por sua vez, entrou na competição quando o sarrafo já estava posicionado em 5,70m, esperou quase duas horas para estrear na competição, e teve de fazer dois saltos para garantir a classificação.

"Quero manter os resultados que estou fazendo nas competições, por volta de 5,80m e 5,90m. Provavelmente essa marca será suficiente para buscar uma medalha", completou Thiago.

A marca mínima para assegurar a vaga diretamente era 5,75 metros, entretanto, nenhum competidor conseguiu atingi-la. O brasileiro Augusto Dutra de Oliveira parou nos 5,45m e encerrou sua participação nos Jogos Olímpicos na 22ª posição. Ele derrubou o sarrafo três vezes nos 5,60m.

Outro brasileiro que deu adeus ao sonho olímpico foi Kleberson David, que cravou 1min46s19 e ficou em 19º lugar nas semifinais dos 800 metros, disputadas em três baterias. O favorito David Lekuta Rudisha, do Quênia, avançou no terceiro lugar geral, atrás do francês Pierre-Ambroise Bosse e do argelino Taoufik Makhloufi.

Sem brasileiros nas semifinais dos 400 metros, o destaque foi Kirani James (Granada), LaShawn Merritt (Estados Unidos) e Machel Cedenio (Trinidad e Tobago). Os oito finalistas brigam pela medalha neste domingo, às 22 horas. O norte-americano é dono da melhor marca da temporada e conseguiu poupar energia para a prova decisiva.

MEDALHAS - Um dia depois de passar por 100 metros com barreiras, salto em altura, arremesso de peso e 200 metros rasos, as atletas do heptatlo disputaram salto em distância, lançamento de dardo e 800 metros. Campeã em Londres-2012, a britânica Jessica Ennis-Hill perdeu a coroa para a belga Nafissatou Thiam e ficou com a prata. A canadense Brianne Theisen Eaton completou o pódio.

A campeã somou 6.810 pontos no total, batendo o recorde nacional da prova, contra 6.775 da segunda colocada e 6.653 da terceira. Única brasileira na disputa, Vanessa Chefer (6.024) teve de se contentar com o 23º lugar.

A final do salto em distância masculino foi de alto nível nos Jogos Olímpicos do Rio. O norte-americano Jeff Henderson atingiu 8,38 metros, superou em um centímetro a marca do segundo colocado no sexto e último salto e conquistou a medalha de ouro. O sul-africano Luvo Manyonga, com 8,37m, alcançou a melhor marca da carreira e surpreendeu os adversários. Campeão em Londres-2012, o britânico Greg Rutherford atingiu 8,29m em sua última chance e garantiu o bronze.