23°
Máx
12°
Min

Torcida vaia rival de Thiago Braz até na entrega da medalha

(Foto: Divulgação/Washington Alves/Exemplus/COB) - Torcida vaia rival de Thiago Braz até na entrega da medalha
(Foto: Divulgação/Washington Alves/Exemplus/COB)

Na cerimônia de premiação do salto com vara, na noite desta terça-feira, no Engenhão, a torcida não perdoou o francês Renaud Lavillenie, rival derrotado por Thiago Braz na disputa pelo ouro. Quando o francês teve seu nome anunciado como ganhador da prata, as vaias tomaram conta do estádio para constrangimento e visível irritação do francês. O campeão Thiago Braz levantou os braços, mostrando que não entendia o gesto da torcida. Os aplausos só vieram quando o francês subiu ao pódio e recebeu a medalha.

Aplaudido de pé pelos torcedores, Thiago Braz, que também representa as Forças Armadas, bateu continência durante a execução do Hino Nacional. Em vários momentos, ele agitou os braços pedindo empolgação e entusiasmo. Foi atendido em todos os gestos.

A vaia no momento da medalha foi mais um momento da relação conturbada da torcida com o ídolo francês. Logo após a prova, na noite de segunda-feira, o francês comparou o comportamento da torcida ao que fizeram com Jesse Owens em 1936 (Owens foi vaiado e hostilizado na época da Alemanha nazista).

Na entrevista coletiva, Lavillenie recuou e considerou a afirmação um equívoco. Mas manteve a crítica à torcida. "Acho que cometi um erro. Foram minhas primeiras palavras e não queria comparar a isso. Foi só sentimento que eu tive. Na minha vida toda eu nunca tive um sentimento como esse. Foi provavelmente porque estava muito irritado", disse Lavillenie. "A torcida não teve fair play. Isso não é futebol, é atletismo", opinou.

Na entrevista coletiva, Thiago Braz afirmou que eles não se falavam há mais de um ano. O francês respondeu que não são próximos, mas que considerava Thiago um "competidor de talento e um cara legal".