24°
Máx
17°
Min

Um dia histórico: a passagem da tocha olímpica por Curitiba

Um dia histórico: a passagem da tocha olímpica por Curitiba

Alegria, emoção e um dia único para a história de Curitiba. Assim pode ser resumida a passagem da tocha olímpica pela capital paranaense. A cidade parou para observar os 169 condutores que percorreram cerca de 35 km, durante cerca de nove horas de revezamento nesta quinta-feira.

Era por volta das 10h30 quando a tocha chegou ao Museu Oscar Niemayer, o ponto de partida. Centenas de pessoas já estavam no local, aguardando ansiosas pelo início do revezamento. No entanto, aqui no Massa News, a cobertura já tinha começado há duas horas.

Desde às 8h30, nossos repórteres acompanharam o trajeto da tocha, primeiramente pela cidade de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana e depois em Curitiba. Com informações sendo atualizadas quase minuto a minuto, tentamos deixar você informado sobre todos os detalhes da passagem da tocha.

No entanto, mesmo com a alegria tomando conta de Curitiba, manifestações e até tentativas frustradas de apagar a tocha foram registradas pela nossa equipe durante o revezamento. De acordo com a Polícia Militar, dois homens foram detidos ao tentar apagar o fogo olímpico com baldes de água. Eles prestaram esclarecimentos e foram liberados.

Mesmo assim, isso não desanimou ninguém. As crianças que acompanhavam a tocha corriam com bastões nas mãos, exclamando que também estavam carregando o objeto olímpico. E não eram poucas. Em todos os trechos do revezamento, muitas famílias se apertavam na multidão para conseguir ver a tocha.

O percurso não teve maiores problemas. Com o ambiente tranquilo e calmo, os condutores aproveitavam para tirar fotos com a tocha e até arriscaram alguns movimentos olímpicos, como foi o caso da ginasta Jade Barbosa, que deu um salto registrado pelas lentes do cinegrafista Alex Silva, da Rede Massa.

E é claro que não poderia faltar uma figura marcante. É o caso de um homem que produziu a sua própria tocha olímpica e acompanhou o revezamento pelos 36 km percorridos em Curitiba, mostrando que era um verdadeiro atleta.

É verdade que o atraso foi um problema. A intenção inicial era que a tocha passasse pelo parque Tanguá durante o pôr do sol, já que o cartão postal é conhecido pela beleza do lugar durante o momento em que o dia se torna noite.

Mas isso não foi suficiente para atrapalhar a alegria da galera que acompanha e comemorava a passagem da tocha. Assim que saiu do Parque do Tanguá, a chama olímpica seguiu para o seu destino final. Pelas mãos de estudantes, a tocha foi entregue para o ex-jogador de vôlei de praia, Emanuel Rego.

O curitibano, campeão olímpico em 2004, 2008 e 2012, foi o responsável por acender a pira olímpica e encerrar a passagem da tocha pela capital do Paraná. Para comemorar e encerrar a festa, show da banda curitibana Big Time Orchestra.

 Mas não pense que acabou! Amanhã você vai poder continuar acompanhando o revezamento da tocha pelo Paraná. De manhã, a chama olímpica vai passar pelos municípios de Fazenda Rio Grande, Araucária e Campo Largo para, finalmente, seguir a Ponta Grossa. E é que o Massa News vai continuar trazendo todos os detalhes. Por isso, não deixe de acompanhar!


Confira alguns vídeos da passagem da tocha por Curitiba:

Confira a história de algumas pessoas que conduziram a tocha: