28°
Máx
17°
Min

Vadão explica que poupou atacante Cristiane pensando em possível final

(Foto: Divulgação/CBF) - Vadão explica que poupou atacante Cristiane pensando em possível final
(Foto: Divulgação/CBF)

O técnico da seleção brasileira feminina de futebol, Vadão, afirmou nesta terça-feira que deixou a artilheira Cristiane de fora do tempo normal da semifinal com a Suécia, no Maracanã, para poupá-la para uma possível final nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. A jogadora, que estava sem atuar para se recuperar de uma lesão na coxa, entrou somente na prorrogação e ainda perdeu um pênalti na derrota por 4 a 3 nas cobranças ao fim do empate sem gols nos tempos normal e extra.

A artilheira da seleção brasileira sentiu o problema no confronto com a mesma Suécia, dez dias antes, pela fase de grupos da competição. Desde a lesão dela, o Brasil não voltou mais a fazer gols e acumulou três empates de 0 a 0. "A estratégia de poupar foi minha, não do departamento médico. É uma responsabilidade exclusivamente minha. Pensei que, se a gente passasse, teria a Cristiane inteira na final", explicou o treinador.

A autora de dois gols no torneio olímpico entrou na prorrogação e pouco pôde ajudar. "Ela não fez nenhum treinamento completo nos últimos dias. É claro que depois de perdermos, a decisão parece errada", comentou o treinador. A experiente jogadora de 31 anos defende a seleção brasileira desde 2003 e disputa pela quarta vez uma edição de Jogos Olímpicos.

Cristiane explicou depois do jogo que não se sentia plenamente recuperada. "É difícil ficar uma semana parada e voltar 100%. Até fisioterapia o tempo todo. Mas é difícil se recuperar", disse a jogadora. Ela afirmou que quis bater o pênalti por ser experiente e não querer fugir da responsabilidade. "Não poderia passar a minha missão para uma menina mais jovem depois de tantos anos na seleção", afirmou.