28°
Máx
17°
Min

Wada promete investigar denúncias de doping russo nos Jogos de Sochi

A Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) prometeu investigar nova denúncia de doping no esporte russo. Desta vez, as suspeitas recaem sobre atletas que disputaram os Jogos Olímpicos de Inverno, em Sochi, na Rússia, há dois anos. Pela denúncia, feita pelo tradicional programa de TV norte-americano "60 Minutes", houve interferência de agentes da FSB, a agência de segurança nacional russa, sucessora da KGB, no programa antidoping dos Jogos de Sochi.

No programa, o russo Vitaly Stepanov revelou que o ex-diretor do laboratório antidoping de Moscou, Grigory Rodchenkov, teria admitido que quatro campeões olímpicos do país usaram esteroides durante a disputa em Sochi. A lista de atletas que teriam se dopado, sem obter maiores resultados na competição, seria ainda maior.

Surpreso com as denúncias, o presidente da Wada prometeu investigar o caso. "A Wada vai investigar todas estas novas alegações imediatamente", afirmou Craig Reedie. "As afirmações feitas no programa nos oferecem um verdadeiro motivo de preocupação, por conter novas alegações de tentativas de subverter o processo antidoping nos Jogos de Sochi."

Reedie lembrou que Rodchenkov fora entrevistado pelo painel independente da Wada, que denunciou os casos de doping sistemático no atletismo russo no ano passado. Mas alertou que o médico não fizera estas revelações quando teve contato com as autoridades da Wada. "Infelizmente, ele não apresentou estas informações sobre Sochi. É surpreendente ouvir estes relatos meses depois que a comissão concluiu seu trabalho."

O presidente da Wada também se mostrou preocupado com a denúncia envolvendo agentes russos. Segundo o "60 Minutes", alguns funcionários da agência de segurança nacional russa foram empregados para atuar no escritório de controle antidoping da Olimpíada de Inverno.

"A Wada ainda não conseguiu verificar independentemente estas alegações, mas vai conduzir novas investigações sem demora. Para tanto, vai precisar ter acesso a todas as gravações da conversa com Rodchenkov que foram transmitidas no programa", disse Reedie.

O presidente da Wada ainda se defendeu das afirmações de Stepanov de que a entidade teria optado pela inércia antes de dar início ao painel independente que revelou o doping russo. "O que pareceu falta de ação na verdade reflete o fato de que, até a revisão do Código Mundial Antidoping, que teve efeito no dia 1º de janeiro de 2015, a Wada não tinha poder para conduzir investigações como essa".

A denúncia do programa "60 Minutes" é mais uma bomba no esporte russo. A primeira grande denúncia surgiu no ano passado, quando o painel independente da Wada revelou doping sistemático no atletismo russo, contando até com auxílio de funcionários do governo. A denúncia gerou forte repercussão e uma dura punição da IAAF.

A entidade proibiu os russos do atletismo de participar de competições internacionais, o que inclui até os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Uma decisão final ainda será tomada no próximo mês para avaliar a participação dos atletas russos da modalidade no grande evento olímpico.