21°
Máx
17°
Min

Mineirinho ainda curte título de 2015 e promete ir atrás do bi mundial no surfe

(Foto: Divulgação)  - Mineirinho ainda curte título de 2015 e promete ir atrás do bi mundial no surfe
(Foto: Divulgação)

Adriano de Souza, o Mineirinho, ainda saboreia a vitória no Circuito Mundial de Surfe no ano passado, conquistada na última etapa do ano, no Havaí, mas já olha para frente para o início da nova temporada, que começa na quarta-feira à noite (quinta de manhã na Austrália) com 11 etapas e dez brasileiros na disputa.

O atual campeão mundial de surfe sabe que todos estarão querendo tomar sua taça, mas espera começar com o pé direito no Pro Gold Coast, que tem prazo para terminar no dia 21. Nesta entrevista exclusiva ao jornal O Estado de S. Paulo, publicada nesta segunda-feira, o surfista, que começou no esporte ainda criança na praia do Tombo, no Guarujá, fala sobre suas chances de bicampeonato e sobre o impacto do título em sua vida.

Qual a expectativa para a primeira etapa da temporada?

Acho que quando começar o campeonato dará um friozinho na barriga, sabendo que estarei disputando a minha primeira etapa depois de ser campeão do mundo. Eu pretendo manter o meu desempenho do ano passado, e isso seria excelente. Seria o passo perfeito para trabalhar bem a chance de conquistar o bicampeonato.

Quem são os adversários que podem estragar um possível bicampeonato seu?

Não descarto ninguém. Todos para mim são concorrentes fortes, pois a meta de todo mundo neste ano é me superar. Depois da etapa em J-Bay (na África do Sul, a sexta de onze etapas da temporada e que será disputada entre os dias 6 e 17 de julho) acho que começaremos a ver quais são os favoritos do ano.

O que mudou na sua vida desde o título mundial?

Acho que nada! Na verdade ainda não realizei que sou o campeão do mundo. Vamos ver quando começar o campeonato se algo mudará.

Agora você é um surfista casado. Pretende levar sua esposa para todas as etapas?

Nós temos a nossa vida, ela tem o trabalho e os negócios dela. Mas a ideia é estar junto sempre que for possível e agora, como estamos casados, fica bem mais prático.

Você obteve um novo patrocínio recentemente. Como é sua relação com os negócios e esse interesse pelos investimentos?

Eu sempre fui fanático pelo mercado financeiro, mas morria de medo de fazer algo, pois achava que seria enganado, que poderia perder dinheiro. Porém ao conhecer o pessoal da XP Investimentos, eles me trataram super bem, me ofereceram cursos básicos para entender o mercado e fui vendo que não é um bicho de sete cabeças. Hoje em dia, estou sempre falando com eles, questionando mais, porque agora entendo mais e acho que eles também se interessaram em me ter como embaixador, porque eu posso ser um bom exemplo de que tudo o que você sonha na vida, você consegue se tiver esforço e pessoas profissionais ao seu lado. Acho que daí surgiu a parceria.

O Mick Fanning avisou que não pretende disputar todas as etapas. Como é ver ele fora da briga pelo título?

Não o descarto, ainda. Se ele disputar quatro etapas e vencer as quatro, por exemplo, está na briga pelo título. O Mick é sempre favorito em toda a etapa que estiver.

Desta vez, serão dez brasileiros no Circuito Mundial. Como é a relação de vocês, com quem você se dá melhor?

Me dou muito bem com todos. Acho que nós todos nos respeitamos muito e nos ajudamos. É difícil falar apenas um nome, pois realmente gosto de todos os brasileiros. Esse é o nosso diferencial, ser um grupo unido que se ajuda. Se continuarmos assim, possivelmente chegaremos a um terceiro título mundial para o Brasil.