24°
Máx
17°
Min

Diretor de Indian Wells pede demissão após declarações sexistas

Raymond Moore, o diretor do Torneio de Indian Wells que desclassificou o circuito de tênis feminino, renunciou ao seu cargo. Moore havia declarado no último domingo que as tenistas profissionais dependem das "realizações dos homens". O proprietário do torneio, Larry Ellison, anunciou que Raymond Moore se demitiu das funções de CEO e diretor do torneio realizado na Califórnia.

Ellison disse que Moore havia lhe informado da sua decisão de deixar a organização do torneio em uma conversa na última segunda-feira. "Ray me disse que ele decidiu deixar os seus cargos de CEO e diretor do torneio com efeito imediato", disse Ellison. "Eu entendo totalmente sua decisão".

Moore pediu desculpas depois de receber críticas generalizadas dos dirigentes dos circuitos de tênis feminino e masculino, das jogadoras Serena Williams e Victoria Azarenka e de fãs nas redes sociais pelas declarações dadas no domingo, no último dia do torneio.

O sul-africano, de 69 anos, e ex-tenista profissional era diretor executivo do torneio californiano desde 2012. "Se nascesse de novo, gostaria de estar na WTA, já que elas vivem das realizações dos homens. Não tomam nenhuma decisão e têm muita sorte. Têm muita, muita sorte", disse Moore no último domingo. "Se fosse uma jogadora, me ajoelharia todas as noites e agradeceria a Deus pelo nascimento de Roger Federer e Rafa Nadal, porque eles carregam este esporte".

Ele também se referiu a jogadoras como "física e competitivamente atraentes". Moore pediu desculpas posteriormente e disse que suas palavras tinham sido "erradas e de mal gosto extremo".

"Realmente lamento estas declarações e peço desculpas a todos as jogadoras e à WTA como um tudo", disse em um comunicado. "Hoje tivemos uma final feminina refletindo a força das jogadoras, especialmente Serena e Victoria, e toda a WTA. Mais uma vez, realmente lamento minhas declarações".

A repercussão de suas declarações foi imediata e reabriu o debate sobre a igualdade de gêneros dentro do esporte, além de recordar que há 50 anos a ex-jogadora Billie Jean King iniciou uma célebre campanha em prol dos direitos das mulheres em torneios de tênis.

Agora, diante da repercussão negativa das suas declarações, Moore deixou a organização de Indian Wells, que realiza um torneio Masters 1000, masculino, e um Premier Mandatory, feminino, anualmente.