27°
Máx
13°
Min

Djokovic vence britânico e avança para enfrentar Tsonga nas quartas do US Open

(Foto: Divulgação)  - Djokovic vence britânico e avança para enfrentar Tsonga
(Foto: Divulgação)

No último jogo encerrado na programação deste domingo no US Open (já madrugada desta segunda-feira no horário de Brasília), Novak Djokovic não teve maiores dificuldades para confirmar o seu favoritismo e garantir vaga nas quartas de final do último Grand Slam desta temporada. Líder do ranking mundial e atual campeão da competição realizada em Nova York, o tenista sérvio venceu o britânico Kyle Edmund por 3 sets a 0, com parciais de 6/1, 6/2 e 6/4, em uma hora e 55 minutos.

Vencedor do US Open também em 2011, Djokovic assim deu novo passo em busca do tricampeonato e terá como próximo adversário o francês Jo-Wilfried Tsonga, que muitas horas mais cedo neste domingo derrotou o norte-americano Jack Sock por 3 sets a 1, com 6/3, 6/3, 6/7 (7/9) e 6/2.

Essa é a segunda vez que Djokovic enfrentou o jovem Edmund, de apenas 21 anos, que ocupa a 84ª posição do ranking da ATP. No outro duelo entre os dois, também travado neste ano, o sérvio superou o britânico por duplo 6/3 no Masters 1000 de Miami.

Contra Tsonga, por sua vez, o número 1 do mundo irá defender uma vantagem de 15 vitórias em 21 jogos diante do atual 11º colocado da ATP. O último confronto entre os dois aconteceu neste ano e também foi nos Estados Unidos, onde o sérvio precisou jogar dois tie-breaks para eliminar o francês por 2 sets a 0 no Masters 1000 de Indian Wells.

Contra o garoto Edmund, Djokovic atropelou nos dois primeiros sets, conquistando cinco quebras de saque e confirmando todos os seus serviços para fazer 6/1 e 6/2.

Já na terceira parcial, o sérvio deu a impressão de que liquidaria logo o jogo ao conseguir nova quebra e abrir 2/0. Porém, o britânico, sem nada a perder, começou a jogar de forma solta e a disparar bons e potentes golpes do fundo de quadra. E com duas surpreendentes quebras seguidas e um game vencido com o serviço na mão, virou para 3/2.

Neste meio tempo, Djokovic chegou a solicitar atendimento médico por causa de dores no braço direito. Ele já havia se queixado de dores no braço em sua estreia no US Open, no qual chegou a perder um set para o polonês Jerzy Janowicz. Depois, de forma curiosa, o sérvio contou com dois abandonos por lesão de seus adversários nas duas partidas seguintes para avançar às fases seguintes sem fazer esforço em Nova York.

Primeiro ele sequer precisou entrar em quadra contra o checo Jiri Vesely, que desistiu do duelo com o sérvio na segunda rodada por motivo de lesão. Em seguida, Djokovic travou apenas seis games com Mikhail Youzhny antes de o russo deixar o confronto por causa de dores nas costas quando perdia o primeiro set por 4/2 para o atual campeão do US Open.

Assim, Djokovic chegou consequentemente sem ritmo de jogo para enfrentar Edmund nestas oitavas de final. E, mesmo com dores no braço e em desvantagem de 3/2 no terceiro set, o sérvio manteve a calma e devolveu uma quebra de saque para empatar em 3/3. Depois, com um novo break point convertido no décimo game, liquidou a partida em 6/4.