26°
Máx
19°
Min

Henin e Safin são eleitos para o Hall da Fama do Tênis

O Hall da Fama Internacional do Tênis anunciou nesta quinta-feira os componentes da classe de 2016 e revelou que a belga Justine Henin e o russo Marat Safin foram eleitos para o seleto grupo. Além deles, os outros dois escolhidos foram Yvon Petra e Margaret Scriven, em homenagens póstumas.

Com um clássico backhand de uma mão, Henin conquistou sete títulos dos torneio de Grand Slam - foram quatro de Roland Garros, dois do US Open e um do Aberto da Austrália. A belga foi a primeira tenista a vencer as irmãs norte-americanas Venus e Serena Williams na campanha vitoriosa em um dos quatro principais torneios do tênis.

Henin, portanto, só não foi campeã em Wimbledon, Grand Slam londrino disputado em quadras de grama. Além disso, ela possui uma medalha de ouro olímpica e ajudou a Bélgica a ser campeã pela primeira vez da Fed Cup. Henin também liderou o ranking da WTA por 117 semanas e terminou as temporadas 2003, 2006 e 2007 na primeira posição.

Já Safin possui dois títulos do Grand Slam, tendo vencido a edição de 2000 do US Open, superando o norte-americano Pete Sampras na decisão, e o Aberto da Austrália em 2005. Além disso, o russo liderou o ranking da ATP. Safin também ficou conhecido pela sua personalidade controversa, com várias reclamações em quadra e raquetes quebradas.

O francês Petra foi campeão de Wimbledon em 1946, após passar cinco ano como prisioneiro de guerra na Alemanha. Ele morreu em 1946. Já a britânica Scriven conquistou o título de Roland Garros em 1933 e 1934. Ela foi a primeira canhota a ganhar uma Grand Slam. A tenista faleceu em 2001.