27°
Máx
13°
Min

Kyrgios é suspenso até próxima temporada e leva nova multa por polêmica em Xangai

- Kyrgios é suspenso até próxima temporada e leva multa por polêmica

Nick Kyrgios vai perder o resto da temporada 2016 após ser suspenso do circuito mundial do tênis, além de ter sido multado em US$ 25 mil (aproximadamente R$ 80 mil), nesta segunda-feira após a sua mais nova polêmica dentro e fora das quadras.

A ATP disse que Kyrgios foi sancionado por "conduta contrária à integridade do jogo" após uma investigação sobre seu comportamento durante a derrota para o alemão Mischa Zverev na semana passada pela segunda rodada do Masters 1000 de Xangai.

Kyrgios exibiu pouco esforço durante a derrota por 6/3 e 6/1, sacando sem velocidade em um momento do duelo e depois deixando a quadra antes do serviço do seu oponente ultrapassar a rede.

O australiano, de 21 anos, já havia sido multado em US$ 16,5 mil (R$ 52,8 mil) por não se esforçar completamente, conduta antidesportiva e abuso verbal contra um espectador.

A ATP declarou nesta segunda-feira que, além de adicional multa de US$ 25 mil (R$ 80 mil), também suspendeu Kyrgios por oito semanas, até 15 de janeiro, um dia antes do começo do Aberto da Austrália, primeiro torneio do Grand Slam do ano.

No entanto, a ATP disse que a suspensão será reduzida para três semanas, se Kyrgios aceitar entrar em "um plano de cuidados sob a direção de um psicólogo esportivo ou um plano equivalente aprovado pela ATP". Isso significa que ele estaria elegível para retornar às quadras em 7 de novembro.

Porém, não existem torneios oficiais no calendário após 7 de novembro, com exceção do ATP Finals em Londres, entre os dias 13 e 20. Número 12 do mundo, Kyrgios não se classificou para o evento que reunirá os oito melhores tenistas da temporada. Assim, ele terá que esperar até o próximo ano para voltar ao circuito.

Kyrgios emitiu um comunicado nesta segunda-feira oferecendo um pedido de desculpas por sua conduta em Xangai e dizendo que estará de volta em 2017. Ele não disse se iria entrar no programa de tratamento estipulado pela ATP.

"Lamento que o meu ano esteja terminando desta maneira e que não vou ter uma chance para continuar perseguindo o ATP Finals", disse Kyrgios. "Esta era uma importante meta para mim. Eu compreendo e respeito a decisão da ATP e vou usar esse tempo para melhorar dentro e fora da quadra. Eu realmente sinto muito e estou ansioso para voltar em 2017".

A polêmica em Xangai aconteceu dias depois de Kyrgios ter ganho o seu terceiro título da temporada, em Tóquio. Durante o jogo, o australiano foi advertido pelo árbitro de cadeira sobre sua conduta e vaiado pela torcida. Ela respondeu com irritação e provocação de um espectador gritando: "Você quer vir aqui e jogar?".

Em uma entrevista pós-jogo, Kyrgios disse que não se importava com a reação do público porque ele não deve nada a eles. Isso ocorreu um dia depois de sua vitória na estreia, quando afirmou que estava cansado e entediado e não teve tempo para saborear a conquista do título em Tóquio no fim de semana.

Após a derrota, Kyrgios publicou um pedido de desculpas em seu perfil no Twitter. E ele repetiu a ação nesta segunda-feira. "A temporada tem sido longa, com luta contra várias lesões e outros desafios no fim do verão", disse. "O circuito asiático foi particularmente difícil após a longa semana e ganhar em Tóquio e com a viagem por todo o continente, o meu corpo finalmente apenas não suportou tanto fisicamente como mentalmente", acrescentou.

"Isso não é desculpa, e eu sei muito bem que preciso me desculpar com os torcedores de Xangai e de outras partes do mundo. Eu, claro, sei como são importantes os torcedores para o sucesso do nosso esporte e eu, pessoalmente, adoro a interação com os fãs em muitas cidades diferentes em todo o mundo no circuito do tênis", concluiu.

Esta não foi a primeira vez que Kyrgios foi punido pelas autoridades do tênis. No ano passado, ele insultou Stan Wawrinka e fez comentários grosseiros sobre a sua namorada durante um jogo em Montreal. Por causa disso, foi multado em US$ 12,5 mil (R$ 40 mil, na cotação atual).