20°
Máx
14°
Min

Murray passa por Dimitrov e é campeão em Pequim sem perder sets

Andy Murray ainda está distante de Novak Djokovic na briga pela liderança do ranking mundial, mas está cada vez mais consolidado como o segundo melhor do mundo. Neste domingo, o britânico alcançou sua 60.ª vitória na temporada ao vencer o búlgaro Grigor Dimitrov na final do Torneio de Pequim, por 2 sets a 0, parciais de 6/4 e 7/6 (7/2), na China. Foi campeão sem perder nenhum set na semana, em cinco jogos.

A conquista é a quinta de Murray só este ano no circuito da ATP, uma vez que ele também foi campeão em Wimbledon, no Queen's (também em Londres) e no Masters 1000 de Roma, além de ter ganho o ouro olímpico no Rio. Por enquanto, são 60 vitórias e apenas nove derrotas. Djokovic, como comparação, tem 56 vitórias, mas perdeu só seis vezes - ganhou sete títulos.

Para faturar o 40.º título da carreira, Murray precisou encarar um rival descansado. Grigor Dimitrov, algoz de Rafael Nadal nas quartas de final e 20.º do mundo, não entrou em quadra no sábado uma vez que o canadense Milos Raonic, que seria seu adversário na semifinal, desistiu do torneio por lesão.

Conhecido por seu estilo agressivo, Dimitrov deu trabalho. Mas Murray fez seu jogo, de poucos erros forçados, mas precisou de quase duas horas para ganhar dois sets. No começo, parecia que seria fácil. O britânico quebrou logo o primeiro serviço do rival e abriu 2 a 0.

Dimitrov tinha dificuldades para confirmar seu saque (salvou três break points), ao mesmo tempo que pouco ameaçava quando Murray tinha o serviço. Assim, o set seguiu sem quebras até que Murray fechasse em 6/4.

No segundo set, Dimitrov foi para o tudo ou nada e jogou de igual para igual com Murray. Quando o britânico sacava para o jogo, em 5/4, o búlgaro reagiu, conseguiu finalmente uma quebra e virou para 6/5. Murray em seguida confirmou o saque, levou o set para o tie-break, e lá garantiu o título.