27°
Máx
13°
Min

Murray quebra jejum contra Djokovic e conquista o Masters 1000 de Roma

O britânico Andy Murray comemorou seu aniversário de 29 anos neste domingo com a conquista do Masters 1000 de Roma. Na decisão, ele venceu o sérvio Novak Djokovic, número 1 do mundo, por 2 sets a 0, com duplo 6/3. Foi a primeira vez que Murray conseguiu derrotar o adversário no saibro - nos últimos 13 confrontos entre os tenistas, Djokovic venceu 12, sendo que o escocês vinha de quatro derrotas seguidas para o líder do ranking mundial.

A vitória também quebrou um jejum que já durava 85 anos. Ele se tornou o primeiro britânico a vencer no Foro Italico, palco do torneio, desde Pat Hughes, em 1931. Além dessa 36ª taça de simples em sua carreira, o escocês irá retomar nesta segunda-feira o posto de número 2 do ranking, que havia sido assumido pelo suíço Roger Federer nesta últimas semana. Para completar, ele será o cabeça de chave número 2 em Roland Garros, Grand Slam cuja chave principal começará a ser disputada no próximo final de semana.

Se Djokovic vencesse, ele se tornaria o primeiro tenista a ultrapassar a marca de US$ 100 milhões em premiação em dinheiro, aumentando ainda seu próprio recorde, com o que seria seu 30º título de Masters 1000 da ATP. Entretanto, o sérvio não pode reclamar, pois há uma semana foi campeão do Masters de Madri, superando justamente Murray na decisão, e na capital italiana já havia sofrido bastante para superar Thomaz Bellucci, Rafael Nadal e Kei Nishikori em jogos muito duros, que o fizeram chegar desgastado à decisão deste domingo.

Nesta nova decisão, Murray se aproveitou do cansaço de Djokovic, que no sábado precisou de pouco mais de três horas para vencer Nishikori nas semifinais. O britânico quebrou o saque do adversário pela primeira vez no quarto game, com 47 minutos de partida, quando começava a chuviscar na quadra. O mau tempo causou irritação do sérvio, que reclamou bastante com a arbitragem, mas o jogo não foi interrompido e, ao confirmar todos os seus saques sem oferecer break points, o escocês fechou a primeira parcial em 6/3.

No segundo set, Murray salvou três break points antes de quebrar novamente o saque de Djokovic e abrir uma vantagem de 3 a 2. Djokovic chegou a perder a cabeça e arremessou a raquete contra o chão. Ela quicou e foi parar nas arquibancadas, mas não atingiu nenhum espectador. O britânico seguiu concentrado e quebrou mais uma vez o saque adversário com um winner de backhand para fechar o jogo em 6/3, após 1h35min de confronto.

Essa foi a 10ª vitória de Murray em 24 duelos com Djokovic, que não perdia do britânico desde a final do Masters 1000 do Canadá do ano passado. Naquela ocasião, o escocês já vinha de oito derrotas seguidas para o sérvio, que iniciou esta série de triunfos contra o rival após ter sido batido pelo mesmo na final de Wimbledon de 2013.