20°
Máx
14°
Min

Nadal passa por Wawrinka em Montecarlo e fará semifinal com Murray

No confronto de dois dos principais favoritos ao título do Masters 1000 de Montecarlo, o espanhol Rafael Nadal não deu chances para o suíço Stan Wawrinka e voltou a vencê-lo nesta sexta-feira, ampliando a hegemonia no confronto. O número 5 do mundo passou sem maiores dificuldades pelo quarto colocado do ranking e chegou às semifinais ao fazer 2 sets a 0, com parciais de 6/1 e 6/4.

Foi a 15.ª vitória de Nadal em 18 confrontos diante de Wawrinka, sendo esta bastante especial, já que o manteve na briga pelo título no torneio monegasco. Em Montecarlo, o espanhol já faturou oito troféus, de forma consecutiva, de 2005 a 2012. Desde então, no entanto, amarga um jejum no principado.

Mas se seguir atuando como fez nesta sexta, Nadal terá grandes chances de voltar a vencer em Montecarlo, principalmente após a surpreendente queda do número 1 do mundo Novak Djokovic logo na estreia. O espanhol dominou o duelo diante de Wawrinka do início ao fim e mostrou um pouco do tênis que o fez ser o melhor do mundo há alguns anos.

No primeiro set, Nadal foi quase perfeito. Ganhou 81% dos pontos no primeiro serviço, 87% no segundo, e cedeu somente dez pontos ao rival para fechar após duas quebras. Na segunda parcial, o espanhol relaxou um pouco e permitiu uma breve reação de Wawrinka. Com uma quebra para cada lado, Nadal voltou a confirmar um break point no nono game e depois sacou para fechar em 1h17min de partida.

Agora, o quinto cabeça de chave da competição terá pela frente outra dura tarefa nas semifinais. Nadal vai encarar o britânico Andy Murray na luta por uma vaga na grande decisão. Número 2 do mundo, Murray passeou em quadra nesta sexta-feira e passou sem dificuldade pelo canadense Milos Raonic, 12.º do ranking, por 2 sets a 0, com direito a "pneu": 6/2 e 6/0.

Murray precisou de somente 1h06min de partida para despachar o canadense. O britânico não foi ameaçado em nenhum momento e se mostrou em estado de graça, impondo seu jogo e pressionando o adversário. Confirmou cinco das nove oportunidades de quebra que teve e sequer cedeu break points ao adversário.