22°
Máx
17°
Min

Nova número 1, Angelique Kerber vence final e fatura título inédito do US Open

O US Open tem uma nova campeã em sua história. Neste sábado, pela primeira vez na carreira, a alemã Angelique Kerber faturou o título do Grand Slam disputado em Nova York, nos Estados Unidos, ao derrotar a checa Karolina Pliskova por 2 sets a 1 - com parciais de 6/3, 4/6 e 6/4, em 2 horas e 7 minutos de partida na Arthur Ashe Stadium, a quadra central do complexo de Flushing Meadows.

Dois dias depois de herdar a liderança do ranking da WTA com a queda inesperada da norte-americana Serena Williams na semifinal para Karolina Pliskova, Angelique Kerber sofreu, mas ratificou o número 1 que será confirmado nesta segunda-feira em decisão jogada mais na raça do que na técnica.

Mais velha a liderar o ranking pela primeira vez, aos 28 anos, Angelique Kerber é a segunda tenista alemã a ganhar o US Open - Steffi Graf ganhou pela última vez em 1996. Nesta temporada, a agora número 1 do mundo já tem dois títulos de Grand Slam - o outro é o Aberto da Austrália. Também chegou à final de Wimbledon, mas perdeu.

"Meu segundo Grand Slam em um só ano, isso é incrível. Isso é simplesmente incrível!", disse Angelique Kerber, com os olhos cheios de lágrima e a voz embargada, ainda na quadra, ao receber o troféu. Depois de agradecer à família, aos treinadores e à torcida, também elogiou a adversária: "Uma adversária muito dura". Karolina Pliskova, que deve subir para o sexto lugar no ranking mundial, chegou à sua primeira final de um torneio de Grand Slam na carreira.

Em quadra, o jogo começou bem para Angelique Kerber. No primeiro set, foi mais ofensiva em seus golpes e se aproveitou do nervosismo da adversária, que perdeu logo de cara o serviço. Segura, a alemã só passou sufoco no quarto game, mas nada que a atrapalhasse para fechar em 6/3.

Mas as coisas começaram a se complicar no segundo set. Angelique Kerber salvou uma quebra no terceiro game, mas não evitou no sétimo. Com 4/3, Karolina Pliskova se encheu de confiança para fechar a parcial em 6/4 e ainda abrir 3 a 1 no terceiro e decisivo set. Mas aí os seus golpes começaram a falhar e a calma da alemã foi vital para a conquista do título.