22°
Máx
14°
Min

Radwanska bate Konta e conquista seu 20º título profissional

Agnieszka Radwanska entrou, neste domingo, no grupo de tenistas com 20 ou mais títulos no circuito profissional do WTA. A tenista polonesa alcançou a 20.ª conquista da carreira ao obter uma vitória relativamente tranquila sobre a britânica Johanna Konta, por 2 a 0 (6/4 e 6/2) na final do Torneio de Pequim, que só não é mais importante que os Grand Slam.

A final foi decidida principalmente pelas falhas de Konta, que cometeu 34 erros não forçados, contra apenas oito da rival, bem mais experiente. Aos 25 anos, a britânica só tem um título na carreira.

Diferente do calendário masculino, que reserva um Masters 1000 para a semana que vem em Xangai, no feminino o principal torneio disputado na China é este de Pequim, que distribui 1.000 pontos à campeã. Com exceção de Serena Williams e Victoria Azarenka, todas as 20 melhores do mundo estiveram na competição, um Premier mandatório (como Indian Wells, Madri e Miami).

"Cada título significa muito, mas especialmente aqui, onde você joga contra as melhores jogadoras do mundo, em um dos maiores torneios. Você encara jogadoras top desde a primeira rodada e eu joguei meu melhor tênis durante toda a semana", comemorou a polonesa, que ganhou seu terceiro título em torneios da série Premier Mandatory, criada em 2009. Só ela, Serena (seis), Azarenka (seis) e a russa Maria Sharapova alcançaram tal feito.

Terceira do ranking mundial, Radwanska não vai ganhar posições no ranking da WTA, mas irá se aproximar de Serena, hoje a número 2. A líder segue sendo a alemã Angelique Kerber, que caiu nas oitavas em Pequim.

A polonesa já havia vencido lá em 2011 e, neste domingo, alcançou seu terceiro título no ano. Antes, havia sido campeã em Shenzhen (também na China) e New Haven (EUA). Assim, já igualou a temporada 2015, quando também ganhou três taças. No ano passado, porém, ganhou o WTA Finals, para o qual se classificou matematicamente este semana.

Já Konta, que pouco conseguiu fazer diante de Radwanska neste domingo, vai subir para o nono lugar do ranking mundial, não só o melhor da carreira dela como também o melhor posto de uma mulher britânica desde 1984. Ela era 146.ª até 17 meses atrás.