21°
Máx
17°
Min

Sharapova diz que Meldonium é como 'aspirina' na Rússia

A tenista russa Maria Sharapova voltou a minimizar o consumo de Meldonium como doping, agora após ser definitivamente suspensa por 15 meses. A ex-líder do ranking mundial do tênis afirmou, em entrevista ao talk show de Charlie Rose na TV americana, que o medicamento é tomado como aspirina na Rússia.

"Eu sei como ele é distribuído. Na Rússia, está na lista de medicamentos essenciais, juntamente com ibuprofeno (princípio ativo de medicamentos como Advil e Motrin). Na Rússia, é tomado como aspirina", argumentou Sharapova. A entrevista foi exibida no Public Broadcasting Service (PBS), canal público norte-americano.

A tenista sustenta que consumia o Meldonium há uma década, desde que tinha 10 anos, sem maiores preocupações. O medicamento, indicado para problemas cardíacos, entrou na lista de substâncias proibidas pela Agência Mundial Antidoping (Wada) em 1º de janeiro, causando, nos meses seguintes, uma avalanche de casos de doping em atletas das antigas repúblicas soviéticas.

"Quando eu recebi o e-mail da ITF (Federação Internacional de Tênis) em março, fiquei muito chocada, porque tomava uma substância que era totalmente legal por 10 anos. Um médico me recomendou depois de muitos exames médicos. Eu tinha 18 anos. Estava lendo, deitada, quando recebi um e-mail dizendo que cometi essa violação", contou.

Sharapova ainda garantiu que nunca teve a intenção de obter ganho de rendimento ao consumir Meldonium e que se abalou por não ter notado a modificação na legislação, anunciada em 30 de setembro do ano passado. "Fiquei me perguntando como não notei (a inclusão na lista de substâncias proibidas). Tinha antas formas de notar e eu não notei. Mas fiquei confortável com fato que era natural para mim tomar algo que era completamente legal, que o laboratório de Moscou confirmava como legal."