23°
Máx
12°
Min

Thomaz Bellucci ganha e evita vexame do Brasil no primeiro dia da Copa Davis

Pressionado pela derrota de Rogério Dutra Silva na estreia na Copa Davis, Thomaz Bellucci teve de suar para vencer o equilibrado duelo de 2 horas e 57 minutos contra Roberto Quiroz por 3 sets a 1 - com parciais de 7/5, 7/6 (7/3), 3/6 e 6/3. O resultado evitou um vexame do Brasil contra o Equador, nesta sexta-feira, em Belo Horizonte. As duas equipes terminaram o primeiro dia do confronto válido pelo Zonal Americano I empatadas por 1 a 1.

O plano dos brasileiros era garantir o primeiro ponto com Rogerinho e dar tranquilidade para Bellucci ampliar na sequência. O revés inesperado, entretanto, colocou a responsabilidade sobre os ombros do tenista número 1 do Brasil. Após um susto no início da partida, ele soube retomar o controle da situação e construir o resultado em um duelo muito apertado.

No papel, a superioridade de Bellucci sempre foi inquestionável. Enquanto o brasileiro ocupa o 49.º lugar no ranking da ATP, o equatoriano aparece apenas em 434.º. No entanto, o favoritismo só teria validade se comprovado em quadra. O duelo desta sexta-feira foi o primeiro entre os tenistas - eles nunca haviam se cruzado no circuito mundial de tênis, nem em Copa Davis.

As rápidas condições de jogo com a soma de piso duro, quadra indoor e um pouco de altitude da capital mineira exigiram bastante dos jogadores. Na tentativa de criar um ambiente parecido com o que foi escolhido nos Jogos Olímpicos do Rio, os brasileiros sofreram um pouco na adaptação. Bellucci e também Rogerinho possuem melhor retrospecto no saibro, já os equatorianos estão acostumados com o piso duro.

Brasil e Equador já se enfrentaram oito vezes na história da competição, foram cinco vitórias brasileiras e três equatorianas. Com o desejo de ampliar essa diferença, o Brasil depende de um bom resultado da dupla. Neste sábado, às 14 horas, Bruno Soares e Marcelo Melo enfrentam Emilio Gomez e Roberto Quiroz.

Os tenistas do Equador, que atuaram nesta sexta-feira, também estão escalados para o último dia de duelos. No domingo, às 12 horas, Gomez será o adversário de Bellucci e, na sequência, Quiroz fecha a série contra Rogerinho. É importante lembrar que as equipes podem alterar a escalação dos jogadores até uma hora antes de cada partida. Assim, o capitão Raul Viver, do Equador, tem a possibilidade de dar chance para Gonzalo Escobar e Ivan Endara dependendo do rumo da competição.

O JOGO - A situação ficou desfavorável para o brasileiro logo no início do jogo. No sexto game veio a chance de se redimir, mas ele desperdiçou todas as chances de quebra. Quiroz abriu 5 a 3 e parecia ter o primeiro set na mão, momento em que o jogo começou a mudar a favor de Bellucci. O tenista da casa foi buscar o resultado e virou o jogo, fechando em 7/5.

O canhoto começou a segunda parcial justificando o seu favoritismo em quadra, confirmou os seus serviços e chegou a ameaçar o saque do adversário. No nono game, uma bola controversa foi discutida pelo árbitro de cadeira com os capitães das equipes. De volta após a breve interrupção, Bellucci somou 5/4 no placar. E, então, veio a chance de ampliar a vantagem, sem sucesso. Em seguida, mostrou categoria para salvar três chances de quebra e somar cinco pontos seguidos. A decisão do set foi levada para o tie-break, com vitória do brasileiro por 7/6 (7/3).

O rendimento de Bellucci não foi o mesmo no início da terceira parcial. Teve o saque quebrado logo na primeira oportunidade e ainda viu Quiroz abrir 4/1. O dono da casa mostrava perseverança ao correr atrás de todas as bolas, contudo o placar já estava muito elástico para evitar a derrota por 6/3 no set.

A retomada veio na quarta parcial com Bellucci abrindo 3/0 após quebrar o serviço do equatoriano e confirmar o seu saque. Mesmo na frente no placar, continuou em busca do resultado. No entanto, foi Quiroz que se deu melhor e devolveu a quebra. Após dura batalha no sexto game, o brasileiro voltou a ampliar a vantagem (4/2) e só bastava administrar o resultado. Sem ceder mais pontos para o tenista do Equador, fechou o quarto set por 6/3 e pôs fim ao sufoco.