22°
Máx
17°
Min

Federação de Vela diz que está 'satisfeita' com limpeza da Baía de Guanabara

Em meio às polêmicas com relação à limpeza da Baía de Guanabara para os Jogos Olímpicos do Rio, a Federação Internacional de Vela garante que está "satisfeita" a evolução das ações dos governos municipal e estadual para melhorar as condições da água. Em nota oficial, a antiga ISAF - atual World Sailing - inclusive elogia os esforços dos brasileiros.

"Estou satisfeito com o trabalho de planejamento que está sendo feito antes dos Jogos para assegurar que o bem-estar dos velejadores continue como prioridade máxima e que os testes apropriados para a água e os protocolos estejam lá para nortear as decisões nos Jogos. Vamos continuar a monitorar de perto os testes de água e a educar os velejadores e oficiais sobre o que eles podem fazer para si mesmos para reduzir os riscos de saúde antes dos Jogos", disse Nebojsa Nikolic, representante da Comissão Médica da World Sailing.

Entre os dias 7 e 10 de março, ele fez parte de uma delegação da entidade que veio ao Rio para se reunir com autoridades do Comitê Organizador, da prefeitura, do governo do Estado, do Instituto Estadual do Ambiente (INEA) e da Cedae Companhia Estadual de Águas e Esgoto (CEDAE).

Em seu relatório sobre a visita, a World Sailing diz que a remodelação da Marina da Glória "está entrando em fase final de conclusão e no caminho para ser entregue no começo do abril, com muitas das construções náuticas sendo equipadas para a ocupação". A federação de vela destaca ainda que a tubulação que impedirá a entrada de esgoto na Marina da Glória está prevista para o fim do mês, relatando que vistoriou a evolução das obras.

Desde outubro do ano passado a World Sailing acompanha mais de perto a limpeza da Baía de Guanabara, que foi bastante criticada por velejadores durante o segundo evento-teste da modalidade, em agosto.

Agora, a entidade demonstra tranquilidade para os Jogos. "Sete áreas de prova e três dias reservas para cada uma das 10 classes olímpicas foram providenciadas pela World Sailing com grande flexibilidade. Planos de contingência para todos os cenários de qualidade de água e vento estão em curso e a World Sailing continua confiante em entregar uma memorável e bem sucedida competição olímpica de vela", assegura a entidade, que encerra garantindo que vai continuar monitorando tudo de perto e voltará ao Rio em maio para ver de perto o impacto das obras na qualidade da água na Marina da Glória.