20°
Máx
14°
Min

Fernanda Oliveira e Ana Barbachan ficam em quarto no Mundial de 470 da vela

(Foto: Divulgação)  - Fernanda Oliveira e Ana Barbachan ficam em quarto no Mundial de 470 da vela
(Foto: Divulgação)

Faltou pouco para Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan subirem ao pódio no Mundial da classe 470, realizado em San Isidro, na Argentina. Representantes do Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio, elas ficaram em quarto na medal race, disputada na manhã desta sábado, e terminaram também em quarto lugar a competição.

As brasileiras, que abriram a regata da medalha em quinto, terminaram a competição com 66 pontos perdidos, a quatro das terceiras colocadas, as austríacas Lara Vadlau e Jolanta Ogar. A prata ficou com as campeãs olímpicas Jo Aleh e Polly Powrie, da Nova Zelândia, enquanto Camille Lecointre e Helene Defrance, da França, faturaram com o ouro.

O resultado em San Isidro, entretanto, comprova que Fernanda e Ana estão entre as melhores do mundo. As austríacas eram atuais bicampeãs mundiais (2014 e 2015), enquanto as neozelandesas ganharam os Jogos de Londres e o Mundial de 2013. As francesas desde o Mundial de 2012 ficam pelo menos entre as quatro primeiras. No Rio, a briga pelas primeiras posições deve envolver também esses quatro barcos.

Bronze nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, com Isabel Swam, Fernanda Oliveira é uma das principais velejadora brasileira da atualidade. Desde 2012 ela e Ana vêm mantendo boa regularidade em grandes competições. Ficaram em nono no Mundial de 2012, em sexto na Olimpíada de Londres, em nono no Mundial de 2013 e em 13.º em 2014. No ano passado, não competiram.

Em janeiro deste ano, elas venceram o Campeonato Norte-Americano, que contou com boa parte dos principais barcos da classe, e ficaram em terceiro na etapa de Miami da Copa do Mundo, disputada dias depois. Atualmente, ocupam o oitavo lugar do ranking mundial.

RS:X - No Mundial de RS:X, classe de prancha à vela também conhecida por windsurfe, só deu Polônia, que ganhou o título tanto no masculino, com Piotr Myszka quanto no feminino, com Malgorzata Bialecka. A Holanda ainda garantiu três medalhas.

O Brasil não foi bem. Patrícia Freitas terminou em 17.º no feminino, melhorando em duas posições o resultado do Mundial de 2015, realizado em outubro. Já Ricardo Winicki, o Bimba, despencou na última regata da competição em Eilat (Israel) e terminou no 28.º lugar geral - ele havia aberto o dia 19.º.

Outros velejadores brasileiros participaram dos Mundiais realizados esta semana. Na RS:X, Gabriel Bastos ficou em 72.º entre 81 inscritos e Bruna Martinelli em 31.º entre 58 competidoras. Na 470, Renata Decnop/Larissa Juk fechou em 28.º entre 39 barcos, enquanto entre os homens o Brasil teve Geison Mendes/Gustavo Thiesen em 19.º e Alexandre Muto/

Felipe Brito no 40.º e antepenúltimo lugar. Henrique Haddad e Bruno Bethlem, que vão defender o Brasil na Olimpíada, preferiram não ir à Argentina.