22°
Máx
16°
Min

Após tri olímpico no vôlei, Brasil vence com público recorde na Arena da Baixada

De volta às quadras no primeiro jogo após a conquista do tricampeonato olímpico no Rio-2016, a seleção brasileira masculina de vôlei fez bonito neste sábado e venceu Portugal por 3 sets a 0 em partida comemorativa realizada na Arena da Baixada. O resultado fez a alegria da torcida, que compareceu em peso e definiu o recorde de público do estádio no ano, com 33.730 pagantes e mais de 35 mil pessoas ao total.

Diante da fraca seleção de Portugal, 26ª colocada no ranking da Federação Internacional de Vôlei (FIVB), o Brasil não teve dificuldades e obteve uma vitória com parciais de 25/17, 25/13 e 25/16.

Os torcedores permaneceram no estádio mesmo após o último ponto, gritaram "é campeão", e os jogadores retribuíram o carinho com uma volta olímpica. O mais festejado foi o veterano Lipe, de 32 anos, que é natural de Curitiba. De maneira surpreendente, a presença do público superou a marca dos 33.270 pagantes para um jogo do Atlético-PR contra o Criciúma, pela Copa Sul-Minas-Rio deste ano.

O amistoso, chamado de Desafio de Ouro pela Confederação Brasileira de Vôlei, foi o primeiro de duas partidas que servirão como despedida do líbero Serginho, que completará 41 anos de idade no próximo mês. Neste domingo, às 10 horas, o time comandado pelo técnico Bernardinho encara Portugal novamente, mas no estádio Mané Garrincha, em Brasília.

O JOGO - O início da partida aconteceu após a quadra precisar ser seca por conta de goteiras no teto retrátil da Arena da Baixada. No entanto, o problema não atrapalhou durante os três sets. Na primeira parcial, Portugal saiu na frente, enquanto o Brasil abusou dos erros em saques, mas logo o time de Bernardinho se encontrou e conseguiu fechar com oito pontos de vantagem.

Interagindo bastante com a torcida, pedindo gritos e trocando sorrisos, a seleção brasileira fez um segundo set ainda mais tranquilo. No primeiro set point, com 24/12 no placar, Lipe arriscou um saque "Jornada nas Estrelas", que ficou famosa com Bernard nos anos 1980. O ponto não saiu no saque, mas os torcedores nem se importaram e mantiveram a bonita festa.

Na beirada da quadra, Bernardinho esteve longe de se estressar como durante as partidas da Olimpíada e outras competições. E nem precisava, pois o Brasil passeou e fechou a última parcial com nove pontos de frente. Com o ponto final, os atletas foram liberados para dar a volta olímpica, tirar selfies e distribuir autógrafos para os torcedores.