24°
Máx
17°
Min

Brasil arrasa Polônia e fica perto da vaga na fase final da Liga Mundial

Brasil fica perto da vaga na fase final da Liga Mundial

Em uma revanche da final do Mundial de 2014, a seleção brasileira masculina de vôlei não deu chances à Polônia e aplicou 3 sets a 0, com parciais de 30/28, 25/21 e 25/16, nesta sexta-feira, em Nancy, na França. Ao abrir a terceira semana da Liga Mundial com vitória, o time comandado pelo técnico Bernardinho ficou perto de assegurar a vaga na fase final.

Com o resultado, o Brasil soma agora seis vitórias em sete jogos disputados. O time figura na segunda colocação geral, atrás apenas da invicta Sérvia. Para avançar, a seleção precisa vencer a Bélgica, às 10 horas deste sábado (horário de Brasília). Ou mesmo um resultado positivo da França sobre os mesmos belgas, ainda nesta sexta, pode assegurar a classificação.

Nesta sexta, Bernardinho mandou para a quadra a equipe escalada com Bruninho, Maurício Souza, Lucão, Maurício Borges, Lucarelli, Wallace e Tiago Brendle. Wallace foi o maior destaque, ao anotar 14 pontos, tornando-se o maior pontuador da partida. Maurício Souza contribuiu com 11.

Com esta formação, o Brasil demorou alguns minutos para se encontrar em quadra. Foram três erros consecutivos que proporcionaram vantagem aos poloneses. Eles logo abriram 4/1 no placar. A diferença, contudo, não se sustentou. A seleção empatou e equilibrou o set, que só veria outra vantagem como esta quando a Polônia fez 16/13. Novamente o Brasil empatou.

O equilíbrio aumentou na reta final e o empate atingiu 27/27. O Brasil só conseguiu fechar a parcial quando alcançou os 30 pontos. Já o segundo set proporcionou menor dificuldade aos brasileiros. Tirando proveito da queda de rendimento dos campeões mundiais, o Brasil cresceu em quadra e, mesmo abrindo vantagem mínima, fechou a parcial.

O terceiro set manteve o equilíbrio somente nos primeiros pontos. Aos poucos, os poloneses exibiam menor confiança e o Brasil dominava. A vitória ficou clara quando a equipe de Bernardinho abriu 21/15. Era questão de tempo para derrubar o rival e devolver a dura derrota sofrida na final do Mundial disputado há dois anos.