24°
Máx
17°
Min

Com Ricardo, Emanuel vence dupla da Rússia e adia aposentadoria

(Foto: Divulgação)  - Com Ricardo, Emanuel vence dupla da Rússia e adia aposentadoria
(Foto: Divulgação)

Ainda não foi nesta quinta-feira que Emanuel se despediu do vôlei de praia como jogador. O campeão olímpico de Pequim-2008 correu o risco de ser eliminado ainda na primeira fase do Grand Slam do Rio, disputado na Praia de Copacabana. Mas ele e Ricardo venceram o duelo decisivo contra Liamin/Barsouk, da Rússia, com duplo 21/17, e conseguiram avançar às oitavas de final.

Foi o segundo jogo de Ricardo/Emanuel no dia. Os veteranos, que na quarta-feira estrearam com derrota na fase de grupos, começaram a quinta superando os holandeses Nummerdor/Varenhorst, atuais vice-campeões mundiais, também por 2 sets a 0 (21/19 e 22/20). Ou seja: Emanuel vai parar ainda jogando em altíssimo nível.

Na sexta, os veteranos podem ter até dois compromissos. Eles jogam a repescagem contra os primos Grimalt, do Chile, e, se avançarem, depois enfrentam Krou/Rowlandson, da França. A competição tem duas fases previstas para sábado (quartas e semi) e decisão marcada para domingo.

Além de Ricardo/Emanuel, outros dois times do Brasil estão na repescagem masculina e se enfrentam: Pedro Solberg/Evandro e Álvaro Filho/Vitor Felipe. A dupla olímpica não faz boa campanha no Rio e fechou a fase de grupos com duas derrotas. Pedro e Evandro perderam para os suíços Beeler/Strasser na quarta e para os irmãos italianos Ingrosso nesta quinta. Depois, se recuperaram ganhando de Böckermann/Flüggen, da Alemanha.

Já os paraibanos abriram o dia com derrota para Brouwer/Meeuwsen, da Holanda, mas se recuperaram vencendo Giginoglu/Gögtepe, da Turquia. Quem vencer o duelo brasileiro da repescagem entra no caminho de Semenov/Krasilnikov, da Rússia.

A única dupla do Brasil garantida nas oitavas de final no masculino é Alison/Bruno Schmidt, que estreia na temporada internacional e até aqui só ganhou. Nesta quinta os capixabas passaram por Nicolai/Lupo, da Itália, e Virgen/Ontiveros, do México.