22°
Máx
14°
Min

Diante de 2 mil torcedores, Caramuru é campeão da Superliga B

- Diante de 2 mil torcedores, Caramuru é campeão da Superliga B

O voleibol paranaense dormiu em festa nesta sexta-feira (18) e a cidade de Castro, na região dos Campos Gerais, é quem mais comemorou. Com a torcida de quase 2 mil pessoas no ginásio José Pagnacco, a equipe do MV Selmer/Caramuru/Castro fez bonito e venceu o SESI (SP) por 3 sets a 0 (26/24, 25/20, 25/20) em 1h27, conquistando o título da Superliga B de Vôlei, competição realizada pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) que dá acesso à elite do vôlei nacional.

Os campeões nacionais entraram em quadra já classificados para a próxima temporada da Superliga, já que o SESI, adversário na final, tem uma equipe representada na principal competição do voleibol brasileiro. Com o resultado desta noite, o time de Castro comemora pela primeira vez um título nacional, neste projeto vencedor do treinador Fábio Sampaio e do assistente Odilon Zimermann, com apoio da Prefeitura e da Secretaria de Esportes do município.

"Saímos de franco-atiradores para campeões da Superliga B. Deixamos para trás 13 equipes, entre elas o SESI, Cruzeiro, Botafogo, São Bernardo... e não foi fácil", lembra Fábio Sampaio

Desde o início da competição o treinador posicionou sua equipe como “franco-atiradores”, mas hoje exaltou a determinação e o foco do Caramuru. “Essa é a coroação que faltava para um trabalho bacana, com muita participação de toda a torcida no ginásio que fez a diferença em todos os momentos que precisamos. Agradeço a Deus, aos amigos e às nossas famílias todo o apoio que tivemos. Saímos de franco-atiradores para campeões da Superliga B. Deixamos para trás 13 equipes, entre elas o SESI, Cruzeiro, Botafogo, São Bernardo... e não foi fácil”, lembra Fábio. Castro terminou a competição com seis vitórias e apenas uma derrota, justamente para o SESI, ainda na primeira fase.

Sobre a preparação da equipe para a Superliga, logo no segundo semestre do ano, o treinador foi sucinto. “Vamos sentar e ver o que de concreto vamos fazer para a Liga A. Temos várias competições este ano e agora com essa ‘carga pesada’ teremos mais responsabilidades. Mas nós nunca fugimos do trabalho e assim vai continuar. A torcida de Castro pode esperar porque nós vamos fazer de tudo para participar bem da Superliga”, afirma.

"Muita gente duvidou do nosso trabalho, da nossa capacidade, mas mostramos que temos qualidade e agora somos campeões”, desabafou o levantador Gustavo

Responsável por dar uma cara nova ao time no jogo desta noite, o levantador Gustavo, que entrou no lugar do titular Edgar, desabafou depois que ganhou o título mais importante de sua carreira. “Eu já havia ganhado um brasileiro de seleções juvenil, mas nem se compara a essa sensação. É uma alegria imensa porque o grupo é maravilhoso, a comissão técnica é ótima e todos nós trabalhamos muito forte para chegar até aqui. Muita gente duvidou do nosso trabalho, da nossa capacidade, mas mostramos que temos qualidade e agora somos campeões”, disse Gustavo. O forte da equipe de Castro, como sempre foi destacado pela comissão técnica, é o grupo fechado. E não foi diferente na grande decisão. “Nosso grupo é um só, todos por um. Um depende do outro para jogar bem e hoje foi exatamente assim que aconteceu”, disse Odilon Zimermann após o jogo, no calor da comemoração.

O jogo

No primeiro set, o mais disputado da partida, as duas equipes alternaram algumas vezes no placar, mas Castro seguiu no domínio quase o set inteiro, buscando o resultado toda hora que precisou. No final da etapa os ataques na saída da equipe paulista chegaram a assustar os donos da casa, mas rapidamente a equipe encaixou a defesa e qualificou o saque, surpreendendo os paulistas e fechando o primeiro set em 26/24.

No segundo set o bloqueio de Castro e o saque poderoso dos paranaenses fizeram a diferença. Sem muita dificuldade e com uma defesa bastante consistente, o time da casa fechou a etapa em 25/20. No terceiro set os erros de saque dos paulistas custaram caro. Logo no começo da etapa, Castro abriu uma diferença considerável, e assim foi até o fim, quando, sozinho na rede, Diego Dutra apenas colocou a bola na quadra adversária. Assim, os castrenses fecharam o jogo em 3 sets a 0, com o placar de 25/20 no terceiro set.

Após o jogo, a comissão técnica dos dois times e os atletas confraternizaram ainda dentro da quadra, quando receberam o troféu oferecido pela CBV. A equipe de Castro, agora, volta suas atenções para a disputa da Superliga e dos campeonatos estaduais adulto e da juventude, realizados pela Federação Paranaense de Voleibol (FPV) ao longo da temporada de 2016.

Colaboração Assessoria de Imprensa.