24°
Máx
17°
Min

Na Superliga, Maringá estreia contra Sesi, time de campões olímpicos

Jogo será no dia 27 de outubro (Foto: Rodrigo Araújo/Maringá Vôlei) - Na Superliga, Maringá estreia contra Sesi, time de campões olímpicos
Jogo será no dia 27 de outubro (Foto: Rodrigo Araújo/Maringá Vôlei)

O Copel Telecom Maringá Vôlei vai estrear na Superliga Masculina no dia 27 deste mês de outubro e já terá uma ‘pedreira’ como primeiro desafio. O jogo será contra o Sesi, equipe dos campeões olímpicos Bruninho, Serginho e Lucão, às 21h30, no ginásio Chico Neto. O time da casa quer a torcida presente para colocar pressão nos visitantes.

A equipe do técnico Nutti se prepara há três meses para a Superliga e os primeiros jogos não serão fáceis. “Eu penso que essas partidas iniciais irão servir para que a gente prepare e entrose a equipe para a competição. Nosso objetivo é estar bem adaptados, com um bom ritmo de jogo para jogarmos de igual para igual contra os adversários e vencermos as partidas”, disse.

O ponteiro Matheus Secco, reforço da equipe para esta temporada, mostra-se confiante. “Gostei da tabela, acho que a Superliga não terá jogo fácil e o nível dos times mostra que teremos um campeonato emocionante. Nossos primeiros jogos serão contra equipes favoritas ao título, com certeza será um desafio para saber como vamos encarar essa Superliga. Sei que vamos fazer ótimas partidas e mostrar nosso valor em quadra”, acredita o camisa 10 do Copel Telecom Maringá.

Mudança na Superliga Masculina

A Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) anunciou algumas mudanças no regulamento da Superliga. As novas regras preveem o fim das paradas técnicas no oitavo e décimo sexto ponto, seguindo o padrão das competições internacionais. Além disso, as fases de playoffs serão diferentes, com as quartas de final e semifinal disputadas em melhor de cinco jogos, não mais em três. A decisão segue em jogo único.

“A alteração no regulamento não é novidade para quem acompanha vôlei, a própria Olimpíada já foi assim. Creio que será melhor para a dinâmica do jogo e para o público. Para nós da comissão, o que muda é a estratégia adotada para realizar a parada de jogo. Sobre a fase final com mais jogos, será muito bom para o público, pois terá mais jogos decisivos. O ponto negativo é que equipes que possuem um elenco restrito de atletas sofrem uma sobrecarga maior e isso favorece a equipe com mais jogadores. Vamos trabalhar para chegarmos bem nessas fases da competição” concluiu.

Após a estreia contra o Sesi, a equipe maringaense joga fora de casa diante do Funvic/Taubaté e volta aos seus domínios contra Vôlei Brasil Kirin e Sada Cruzeiro Vôlei.

Colaboração Assessoria de Imprensa