23°
Máx
12°
Min

Rexona-Ades elimina arquirrival Vôlei Nestlé e vai à 12ª final seguida

(Foto: Divulgação)  - Rexona-Ades elimina arquirrival Vôlei Nestlé e vai à 12ª final seguida
(Foto: Divulgação)

O maior clássico do vôlei interclubes do Brasil teve o desfecho que já se tornou rotina. Jogando em casa no Ginásio do Tijuca, o Rexona-Ades venceu o terceiro jogo da série semifinal contra o Vôlei Nestlé na noite desta segunda-feira por fáceis 3 sets a 0, parciais de 25/20, 25/23 e 25/16, e se classificou à sua 12.ª final seguida na Superliga Feminina.

Esse foi o 80.º jogo entre os dois times na história da competição, a 46.ª vitória do time carioca, atual tricampeão. Desde o título de Osasco na temporada 2011/2012, só deu Rio, que passou a apostar em jovens como Natália e Gabi, que hoje são duas das melhoras jogadoras brasileiras em atividade.

Foram 10 finais entre Rio e Osasco em 11 edições de Superliga. Nesta temporada, entretanto, o Osasco de Dani Lins, Thaisa, Adenízia e Camila Brait, todas da seleção brasileira, foi só o quarto colocado na fase de classificação e acabou entrando no caminho do arquirrival já na semifinal, algo que nunca havia acontecido.

O confronto começou na segunda-feira, em Osasco, com surpreendente vitória do time da casa, que havia vencido só um set nos últimos quatro confrontos. Na sexta, o Rio deu o troco vencendo no Tijuca por 3 a 1. Foram dois sets equilibrados até o Rio crescer com a levantadora Roberta em quadra.

Nesta segunda, ela substituiu a titular Courtney Thompson, norte-americana, para se firmar como grande nome da série. Eterna reserva - foi banco de Fernanda Venturini, Fofão e Dani Lins - Roberta agora pinta inclusive como alternativa para o técnico José Roberto Guimarães para os Jogos do Rio.

O time da Unilever, campeão de 2006 a 2009, em 2011 e de 2013 a 2015, vai pegar na final em Brasília, no próximo domingo, o vencedor do duelo mineiro entre Dentil/Praia Clube e Camponesa/Minas, respectivamente segundo e terceiro colocados da fase de classificação.