22°
Máx
14°
Min

A partir de maio, Alameda Jaú terá 450 metros com mão dupla

Em 30 dias, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) vai transformar um trecho de 450 metros da Alameda Jaú, nos Jardins, na zona sul, em uma via de mão dupla, entre a Avenida Brigadeiro Luís Antônio e a Alameda Campinas. A mudança no viário, que hoje atende só motoristas no sentido centro, vai possibilitar que os carros trafeguem também na direção do Paraíso.

A companhia garantiu a permanência das vagas de Zona Azul e dos pontos de táxi à esquerda. De acordo com Valtair Valadão, diretor de Operações da CET, o volume de automóveis no trecho de duas quadras caiu de 1.300, nos horários mais movimentados, para 600 veículos. Isso desde a mudança na Avenida Brigadeiro Luís Antônio, que em fevereiro acabou com as conversões à esquerda para quem sobe a avenida. "Vamos fazer um redimensionamento das faixas. Já detectamos a possibilidade de alteração, mas também estudamos outras vias para melhorar a acessibilidade aos bairros lindeiros à Brigadeiro", disse o engenheiro.

Valadão explica que a nova mão dupla, além de oferecer uma opção de trajeto, vai reduzir o trânsito dentro do bairro após a alteração feita há mais de um mês na região. Vias como as Alamedas Lorena e Campinas sentiram o impacto no aumento dos congestionamentos de motoristas que usavam as duas vias para fugir da Brigadeiro Luís Antônio.

Estreitamento

Para criar as novas faixas na Alameda Jaú, mantendo as vagas de estacionamento e os pontos de parada dos táxis, a CET vai pintar pistas estreitas. Os pedestres e os motoristas que usam o trecho da futura mão dupla estão divididos sobre a novidade.

Para a recepcionista Loudes Areze, de 19 anos, é positiva. "Pego muito táxi na direção da Rua da Consolação e comecei a ter dificuldade porque os taxistas não conseguem mais sair da Brigadeiro", afirmou.

Já o advogado Pedro Jorge da Costa Nassar Cury, que moveu um abaixo-assinado contra a alteração na Avenida Brigadeiro Luís Antônio, é também contra a mudança na Jaú. "É sacanagem do (prefeito) Haddad com o motorista. Ele quer que todo mundo ande de bicicleta. E agora a Prefeitura resolve fazer testes, alterando a mão de mais uma rua", afirmou.

Anteontem, o secretário de Transportes, Jilmar Tatto, admitiu que alguns motoristas podem incomodar-se com mais uma mudança. "Mas não temos (na pasta) preconceitos em relação a carros. Se tem uma coisa que todo mundo adora aqui é automóvel, tanto é que todo mundo tem carro."

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.