23°
Máx
12°
Min

Alarme falso de assalto com reféns mobiliza operação policial no Rio

Um alarme falso de assalto com reféns na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio, por volta das 15h desta segunda-feira, 7, mobilizou uma extensa operação policial e engarrafou o trânsito na região. A ação policial incluiu o uso de helicóptero e a intervenção de homens do Batalhão de Operações Especiais (Bope), além de causar apreensão nos vizinhos. A denúncia, porém, não se confirmou.

A confusão começou depois que, em uma agência do banco Itaú na Avenida Armando Lombardi, na altura da Praça Euvaldo Lodi, um segurança particular, que escoltava uma cliente na retirada de uma grande quantia de dinheiro e estava armado, foi confundido com um assaltante pelo vigilante do banco. Acionados, policiais do 31º Batalhão de Polícia Militar (Recreio) pediram reforços de outras unidades da corporação e também da Polícia Civil. Duas delegacias também mandaram equipes para o local.

Os policiais estavam alarmados com as primeiras informações de tiroteio e a possível presença de cinco assaltantes armados dentro da agência. Nenhum crime, porém, aconteceu. Segundo explicação oficial da Polícia Civil, o boato se espalhou depois que uma cabine da Polícia Militar recebeu uma denúncia de assalto contra a agência.

Em imagens da operação divulgadas na internet, é possível ver policiais militares armados em cima do prédio da agência e outros escalando os muros, durante o suposto assalto. A avenida chegou a ser interditada por cerca de 30 minutos, no sentido zona sul. A notícia falsa foi divulgada com destaque em alguns sites e viralizada nas redes sociais.

De acordo com o Centro de Operações da Prefeitura do Rio, o bloqueio provocou lentidão no trânsito, com reflexos na Avenida das Américas, nos túneis do Joá e São Conrado e na Autoestrada Lagoa-Barra. Segundo o delegado Marcio Braga, titular da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), a especializada esteve no local, junto com a equipe da 16ª Delegacia de Polícia (Barra). Os policiais então constataram o engano.