22°
Máx
17°
Min

Alckmin deixou de investir R$ 44 milhões em Etecs e Fatecs

Os investimentos feitos pelo governo Geraldo Alckmin (PSDB) no Programa Estadual de Educação Profissional e Tecnológica caíram 36,3% em 2015. Segundo dados da Secretaria Estadual da Fazenda, foram aplicados pelo Centro Paula Souza no ano passado R$ 44,1 milhões a menos do que em 2014 em obras, instalações e compra de equipamentos e material educativo nas Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) e Faculdades Tecnológicas (Fatecs).

O corte de gastos é uma das queixas dos estudantes que ocupam desde quinta-feira, 28, a sede do Centro Paula Souza, na região central de São Paulo. Além do prédio administrativo da autarquia, outras quatro Etecs na capital estavam ocupadas na terça-feira, 3, . O motivo principal dos protestos é a falta de merenda nas escolas (23 unidades não recebiam nada) e as denúncias de supostos desvios de recursos da alimentação escolar.

Dados extraídos pela reportagem do Sistema de Informações Gerenciais da Execução Orçamentário (Sigeo), atualizado diariamente pela Fazenda, mostram que foram investidos no programa R$ 77,3 milhões no ano passado, ante R$ 121,4 milhões em 2014. Os valores já estão corrigidos pela inflação do período. O ano de 2015 foi marcado pelo agravamento da crise econômica do País, que derrubou o PIB nacional em 3,8% e provocou uma queda de 4,6% na arrecadação do Estado.

Na execução de obras e instalações, os investimentos caíram de R$ 70,2 milhões, em 2014, para R$ 51,8 milhões no ano passado. Na compra de equipamentos, como itens de informática, mobiliário e materiais educativos, a queda foi ainda maior, de R$ 50,8 milhões para R$ 25,5 milhões.

Atualmente, o Centro Paula Souza administra 219 Etecs e 66 Fatecs no Estado.

Neste ano, o ritmo dos investimentos é ainda menor. Segundo o Sigeo, foi aplicado apenas R$ 1,3 milhão de janeiro até abril, dos quais R$ 256 mil em obras e instalações e pouco mais de R$ 1 milhão em equipamentos. "A merenda foi o estopim de tudo isso, mas a gente vive na pele a falta de estrutura. Faltam carteiras, computadores e tem salas com goteiras há meses", disse Rachel Drobitsch, de 16 anos, aluna da Escola Técnica de São Paulo (Etesp), na região central da capital.

A queda dos investimentos acompanha também a redução do número de inaugurações de Etecs. No ano passado, apenas uma unidade foi aberta, em Itaquera, zona leste da capital, além de duas Fatecs. Entre 2011 e 2014, foram 26 novas escolas e 14 faculdades.

Expansão

Em nota, o Centro Paula Souza informou que o "orçamento da instituição prevê recursos para todas as suas áreas, e não apenas para as Etecs", e "vem priorizando não mais a construção de novas unidades, mas justamente a melhoria da estrutura das existentes". Segundo a autarquia, o número de Etecs subiu de 126 para 219 (74%) com o plano de expansão implementado na última década, e o de Fatecs mais do que dobrou, de 26 para 66, atendendo à maior parte dos municípios com mais de 35 mil habitantes". Neste ano, devem ser entregues 4 Etecs e 1 Fatec.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.