22°
Máx
14°
Min

Após flagar traição de mulher, taxista morre em troca de tiros com rival

Ex-policial militar, o taxista Jaime Damião Mariano Pavel, de 30 anos, morreu ao trocar tiros com Leonardo Cabral de Araújo, de 41 anos, agente da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil. Pavel havia descoberto que a mulher, Thaís Santanna, vinha mantendo um caso com Araújo e esperou os dois na saída do motel Sherazzade, no Irajá, na zona norte carioca. Eles discutiram e trocaram tiros. O "duelo" aconteceu na noite de terça, 12.

Pavel foi atingido no tórax, coxa esquerda e mão direita. Araújo ficou ferido na cintura. Eles foram levados para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, zona norte. Pavel morreu ao ser atendido. Araújo foi operado e continua internado. Seu estado de saúde é considerado estável.

Pavel portava a pistola do pai, sargento do Exército. Ele foi reprovado em processo seletivo da Polícia Militar (PM), mas conseguiu ingressar na corporação em dezembro de 2012 graças a uma liminar judicial. Acabou excluído da tropa em maio de 2014, quando a liminar perdeu efeito.

Pavel e a mulher casaram-se em novembro passado. O casal já tinha um filho. Na noite de terça, ela saíra de casa para ir à faculdade. Desconfiado, o marido a seguiu. Ao presenciar a entrada dela no motel, resolveu aguardar em seu táxi o fim do encontro amoroso. Segundo testemunhas, quando o casal deixou o motel, o taxista abordou o policial aos gritos de "perdeu". O PM sacou a pistola e reagiu.

O confronto apavorou moradores da Rua Coronel Soares, tradicional ponto de assaltos no bairro. Pelo menos um carro estacionado e um portão foram perfurados por tiros. Em desespero, a mulher do taxista correu de volta para o Sherazzade, onde refugiou-se, sem ferimentos.

O crime é investigado pela Divisão de Homicídios, que fez perícia na frente do motel. "Ainda é muito cedo para afirmar se o agente responderá por homicídio ou se foi legítima defesa. Falta ouvir testemunhas, o próprio policial civil, que está hospitalizado, analisar resultados das perícias ou até mesmo fazer novas perícias. Estamos apurando de forma detalhada a dinâmica do homicídio de Jaime Pavel", afirmou o delegado Fábio Cardoso, da Divisão de Homicídios.

A mulher de Pavel apagou seus perfis nas redes sociais depois de ser ofendida e ameaçada de espancamento por internautas.