22°
Máx
16°
Min

Após obras contra crise virar 'toboágua', Sabesp instala placas de proibido nadar

Após o jornal O Estado de S.Paulo publicar que a transposição de água da Represa Billings para o Sistema Alto Tietê havia virado uma espécie de "toboágua" para moradores de Ribeirão Pires, no ABC Paulista, a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) instalou placas no local alertando que é proibido nadar no canal.

O jornal O Estado de S.Paulo havia informado que a transposição virou um arriscado ponto de lazer e esporte de aventura a partir de meados de dezembro do ano passado, quando atingiu 100% da capacidade de transferência. A diversão ocorria aos finais de semana em dias de calor no canal construído pelo Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE) para evitar o assoreamento do Rio Taiaçupeba-Mirim com a transposição da Billings. Crianças e até adultos aproveitavam a força dos 4 mil litros de água bombeados por segundo para nadar e praticar a modalidade "boia cross", em que a pessoa desce o rio sobre uma boia, sem equipamentos de proteção.

A Sabesp instalou alguma placas às margens do canal com o objetivo de evitar acidentes, já que o local não é seguro nem apropriado para a prática de esportes.

A obra foi feita pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) e inaugurada em setembro de 2015 pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) para evitar o rodízio oficial no abastecimento de água da região metropolitana.