24°
Máx
17°
Min

Arena no Anhembi vai ficar com iniciativa privada por 30 anos

A Prefeitura de São Paulo vai publicar neste sábado, 16, o edital para construção de uma arena multiuso no Complexo do Anhembi, em Santana, na zona norte da cidade. O espaço, de 21 mil m², terá capacidade para até 20 mil pessoas e será utilizado para eventos esportivos, culturais e exposições de grande porte.

A estimativa de arrecadação ao poder público municipal com o espaço, que será entregue à iniciativa privada sob concessão por 30 anos, é de R$ 377 milhões.

Após a publicação do edital, que será divulgado na edição deste sábado no Diário Oficial do Município, as empresas interessadas terão 60 dias para apresentar as propostas. A expectativa é de que até o fim do ano esteja definido o grupo econômico vencedor e, em 2017, seja dado início às obras. A arena deve começar a operar três anos após a assinatura do contrato.

A intenção da Prefeitura é transformar a área, que fica próxima à concentração do sambódromo, em um estádio de padrões internacionais, coberto e com ar-condicionado. A previsão é trazer eventos como o MMA (UFC), jogos de basquete da NBA, abertos de tênis, campeonatos brasileiros de vôlei e basquete, congressos e convenções internacionais e shows.

A iniciativa faz parte do projeto da gestão Fernando Haddad (PT) que promete transformar as margens do Rio Tietê em um "cartão postal definitivo" da cidade.

"A gente perde muitos eventos esportivos. São Paulo tem que se atualizar e se modernizar sob o ponto de vista de seus equipamentos para continuar sendo o principal destino turístico do Brasil", disse o prefeito na manhã desta sexta-feira, 15, durante apresentação do projeto.

Modernização

Haddad afirmou que a nova arena multiuso não tem relação com o projeto de modernização do Complexo do Anhembi, que ocorre paralelamente à construção da arena multiuso. "Tomamos a decisão de separar. São negócios diferentes, com enfoques diferentes. O fato de estarem próximos ajuda, cria sinergias, mas são negócios diferentes."

A modernização do pavilhão do Anhembi poderá transformar um espaço em uma "minicity", com grandes restaurantes, lojas de grife e espaço infantil. A estimativa da Prefeitura para o investimento privado subiu para R$ 2 bilhões.