24°
Máx
17°
Min

Assassinato de mulher que ia buscar filho em Porto Alegre gera crise no RS

Uma mulher que buscava o filho na escola foi assassinada em um assalto na tarde da quinta-feira, 25, em Porto Alegre. O crime provocou uma crise na Segurança Pública do Rio Grande do Sul, que culminou com o pedido de exoneração feito pelo secretário Wantuir Jacini. Um suspeito pelo latrocínio foi preso, e outros dois são procurados pela polícia.

O latrocínio aconteceu por volta das 18 horas desta quinta-feira, quando a vítima estava em companhia da filha adolescente, e é investigado pela 9ª Delegacia de Polícia (Passo da Areia) de Porto Alegre.

Cristiane Fonseca, de 44 anos, dirigia um carro Honda Fit próximo ao Colégio Salesiano Dom Bosco, na zona norte da capital gaúcha, quando três assaltantes se aproximaram em outro veículo, um Fiat Palio.

Antes de exigirem a entrega dos pertences dela, o grupo teria cometido pelo menos outros seis assaltos semelhantes nas imediações, enquanto mantinham o dono do automóvel que dirigiam como refém.

Minutos após o assassinato, os bandidos abandonaram o veículo e outros pertences e soltaram o refém, que procurou a polícia e ajudou na identificação dos suspeitos.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Alexandre Vieira, crimes do tipo não são comuns na região. Segundo ele, há versões de testemunhas de que a vítima teria sido morta após tentar fugir ou tirar o cinto de segurança, mas a informação é tratada como "irrelevante" pela polícia.

O Colégio Dom Bosco suspendeu as aulas até a segunda-feira, 29. Em nota, a instituição declarou estar "profundamente chocada e sensibilizada" e afirmou que vai se empenhar "por mais segurança e tranquilidade" e exigir "dos poderes constituídos que exerçam sua função com mais determinação e eficiência".

Apoio federal

O governador José Ivo Sartori (PMDB) se reuniu com o presidente em exercício Michel Temer (PMDB) para solicitar o apoio da Força Nacional para exercer a guarda externa de presídios. A intenção é deslocar o efetivo responsável pela função para trabalhar nas ruas da capital gaúcha.

Segundo o governo do Estado, também serão requeridos recursos para investimento no sistema prisional e na aquisição de equipamentos e viaturas policiais.

Participaram da reunião o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra e o ministro do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI), general Sergio Etchegoyen, além do senador Lasier Martins (PDT-RS) e o deputado federal Mauro Pereira (PMDB-RS).

Enquanto um novo nome não assume a Secretaria da Segurança Pública, as funções da pasta foram deslocadas para um gabinete de crise criado na última madrugada, sob comando do vice-governador, José Paulo Cairoli (PSD).