22°
Máx
17°
Min

Autoescolas dão férias a funcionários por greve no Detran

A greve dos servidores do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) completou nove dias nesta terça-feira, 28, e levou a autoescola São Cristóvão, de Votorantim, interior de São Paulo, a dar férias para cinco dos 15 funcionários. Com os exames teóricos para obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) paralisados, os serviços foram reduzidos. De acordo com a direção da empresa, sem a aprovação no exame teórico, os candidatos não podem realizar as aulas práticas. A próxima medida será dispensar os colaboradores.

Embora 30% dos servidores do Detran sejam obrigados a comparecer ao trabalho, os serviços estão sofrendo grandes atrasos. De acordo com o despachante Luciano Augusto, de Votorantim, documentos protocolados no dia 17 ainda não foram liberados. "Não está saindo nada, nem CNH, nem transferência, nem outros documentos de porte obrigatório pelo motorista. O licenciamento de veículo com placa final 3 vai até o fim deste mês e muitos não vão poder rodar, sob pena de apreensão", disse.

Em Sorocaba, somente uma autoescola tem 60 alunos na fila de espera pela CNH. Com a remarcação das aulas práticas em razão da greve, a estudante Larissa Correa Simões não sabe quando vai poder dirigir. "Queria aproveitar as férias escolares para tirar a habilitação, mas já vi que não vai dar." Os exames para quem terminou o ciclo de aulas estão sendo adiados em até duas semanas.

Os trabalhadores reivindicam reajuste de 26,3%, incluindo reposição de perdas, além de outros benefícios. O diretor jurídico do Sindicato dos Cargos Administrativos da Carreira do Estado de São Paulo (Sindcaesp), Edgard Dolata Carneiro, disse que a proposta apresentada pelo Detran, da formação de um grupo de trabalho para discutir em 20 dias as reivindicações, não agradou a categoria. "Vamos colocar em votação, mas ainda será preciso convocar uma assembleia, por isso não temos uma data."

O Detran informou que, mesmo com a greve parcial, o licenciamento está saindo em seis dias e os outros documentos em até sete dias. Já as provas teóricas sofreram atraso com a greve, mas as práticas estão sendo realizadas. O licenciamento de veículos foi priorizado tendo em vista o calendário. "O Detran espera que as entidades grevistas cumpram a lei de greve que garante a permanência parcial dos serviços públicos essenciais", informa a nota. Ainda segundo o órgão, a concessão de vale-refeição já foi atendida e as negociações com a categoria estão abertas.