22°
Máx
14°
Min

Casos de microcefalia confirmados no País chegam a 1.384

(Foto: Venilton Kuchler/ ANPr) - Casos de microcefalia confirmados no País chegam a 1.384
(Foto: Venilton Kuchler/ ANPr)

O Ministério da Saúde informou em boletim divulgado nesta quarta-feira, 18, que o País já confirmou 1.384 casos de bebês com microcefalia e outras alterações de sistema nervoso. No total, foram 7.534 casos suspeitos da má-formação relatados desde outubro de 2015; 3.332 registros permanecem sob investigação e outros 2.818 foram descartados por apresentar exames normais.

Os casos foram relatados por secretarias estaduais até o dia 14 de maio. As confirmações ocorreram em 499 diferentes municípios brasileiros, de 25 Estados e do Distrito Federal; não houve registro no Acre. Dentre os 1.384 confirmados, 207 estão ligados ao vírus da zika.

"O Ministério da Saúde, no entanto, ressalta que esse dado não representa, adequadamente, a totalidade do número de casos relacionados ao vírus. A pasta considera que houve infecção pelo Zika na maior parte das mães que tiveram bebês com diagnóstico final de microcefalia", declarou a pasta.

Pernambuco tem a maior quantidade de bebês com a má-formação: 354. A Região Nordeste concentra 1.233 dos registros confirmados, com a Bahia (243) e Paraíba (125) na sequência do ranking. O Estado de São Paulo relatou oito casos de microcefalia; no Sudeste, foram 77, com 55 no Rio de Janeiro.

De acordo com o boletim, desde outubro 273 óbitos aconteceram com suspeita de microcefalia após o parto ou durante a gestação. Desses, 59 foram confirmados para a má-formação.

"O Ministério da Saúde ressalta que está investigando todos os casos de microcefalia e outras alterações do sistema nervoso central, informados pelos Estados, e a possível relação com o vírus zika e outras infecções congênitas. A microcefalia pode ter como causa, diversos agentes infecciosos além do Zika, como Sífilis, Toxoplasmose, Outros Agentes Infecciosos, Rubéola, Citomegalovírus e Herpes Viral", acrescentou.