22°
Máx
14°
Min

Cidade do interior de SP ganha vacina de H1N1 após ação na Justiça

Dois dias após conseguir uma liminar da Justiça Federal obrigando Estado e União a liberarem o imunizante, a prefeitura de Quintana, no interior de São Paulo, iniciou nesta quarta-feira, 20, a vacinação do grupo de risco contra a H1N1 no município.

Desde as 13 horas, as unidades de saúde estão vacinando crianças de 6 meses a 5 anos, pessoas acima de 60 anos e gestantes, além de portadores de doenças crônicas. De acordo com o prefeito Fernando Itapuã (PSC), as vacinas repassadas pelo Ministério da Saúde, por meio da Secretaria estadual, são suficientes para 1.400 pessoas, quase um quarto dos 6.437 moradores.

A prefeitura entrou na Justiça pedindo a vacinação imediata depois que duas pessoas morreram na cidade com H1N1, entre elas uma menina de 12 anos. Moradores chegaram a viajar para outras cidades em busca da vacina. Pelo calendário nacional, a vacinação do grupo de risco só teria início no próximo dia 30.

O prefeito queria que toda a população fosse vacinada, mas o juiz federal Alexandre Sormani, de Marília, entendeu que deve ser atendido de forma emergencial o grupo de risco. A prefeitura recorreu ao Tribunal Regional Federal da 3ª Região, em São Paulo.

"Pretendemos seguir com essa discussão, pois achamos que a população toda, no Brasil inteiro, deve ser vacinada. Vacinar custa muito menos para a União do que tratar os doentes." Independente disso, a prefeitura já reservou recursos no orçamento de 2017 para vacinar todos os moradores de Quintana.