23°
Máx
12°
Min

Corpo da última vítima de soterramento em Diadema é encontrado

Corpo da última vítima de soterramento em Diadema é encontrado

O corpo de Vanda Maria Martins, de 54 anos, que morreu soterrada no desabamento de uma igreja na cidade de Diadema, na Grande São Paulo, foi encontrado após mais de 20 horas de buscas. Segundo o coronel Wagner Júnior, ela foi encontrada por volta do meio-dia, mas a retirada do corpo ainda deve demorar pelo menos duas horas.

“A situação é delicada, quanto mais a gente mexe, mais a laje se movimenta. Ela está presa embaixo de uma laje, houve esmagamento. Cada martelada que a gente dá lá, chacoalha. Então, é preciso tomar bastante cuidado”, disse o coronel. “O pilar e a viga realmente a pegaram”, acrescentou.

Segundo os bombeiros e relatos de populares, o culto na igreja Assembleia de Deus Madureira já tinha terminado, às 15h de ontem, “mas algumas pessoas ainda estavam reunidas no interior da igreja quando a estrutura ruiu. Senão a situação poderia ser pior”, disse o tenente Rafael Marques.

Havia cerca de 15 pessoas na hora do desabamento e grande parte foi socorrida pelos próprios vizinhos. Os primeiros a serem resgatados pelos bombeiros foram um menino de 4 anos chamado Davi e um rapaz. Na madrugada de hoje (16), às 4h, Ezequiel de 23 anos e Anderson de 44, foram socorridos e levados pelo helicóptero Águia. Eles sofreram fraturas nas pernas, no tórax e na coluna, mas estavam conscientes.

Anderson estava em dia de folga do trabalho e resolveu assistir ao culto, contou o seu tio, o porteiro Marcos Antônio Nascimento. “Cheguei à noite e meu filho ajudou a tirar Anderson, que estava soterrado. Eu quero saber como ele está”, disse. Anderson, o irmão e um primo estavam juntos no culto, mas apenas Anderson resolveu ficar até o fim e foi atingido.

“A mãe dele [do Anderson] passou mal, ficou nervosa, teve que ser levada de ambulância. Eu pensei o pior, porque olha o estado em que ficou. É que já tinha acabado o culto, se estivesse lotado, seria pior, mais grave”, lamentou.

Julinda Rodrigues da Silva é vizinha de Vanda. Ela contou que a amiga costumava frequentar outra igreja, mas naquele dia resolveu ir à Assembleia de Deus Madureira, bem mais próxima de sua casa. “Ela vinha aqui às quartas-feiras, mas só vinha às vezes”, disse.

Vanda tem três filhos, um deles cadeirante, pois sofre de paralisia. Os filhos, que não quiseram falar com a imprensa, aguardam apreensivos do alto de uma casa vizinha novidades no trabalho dos bombeiros.

Alvará

A prefeitura de Diadema informou que o local estava em obras, mas sem autorização da administração municipal. Uma notificação foi entregue à igreja, na segunda-feira (13), determinando a paralisação da obra. A assessoria de imprensa informou que o imóvel tinha alvará de funcionamento.

O delegado Miguel Ferreira da Silva visitou hoje o local do desabamento e disse que depende dos documentos de alvará e de autorização das obras de reforma para iniciar a investigação. Ele informou que os responsáveis pela obra e pela igreja poderão ser penalizados, caso sejam comprovadas irregularidades.

Colaboração Agência Brasil